Irrigação por microaspersão pode gerar 50% de economia em energia

PARTILHAR
Irrigação por microaspersão pode gerar economia de até 50% em energia elétrica
Foto: Divulgação

Produto da Santeno direciona a água 100% para a planta e não exige bomba hidráulica de alta pressão, além de ter menor custo de instalação com relação a outras modalidades

O Atlas Irrigação, documento coordenado e atualizado pela Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA) em 2021, apontou que o Brasil totaliza 8,2 milhões de hectares equipados para irrigação. O mapeamento estima ainda que até 2040, o país terá incorporado mais 4,2 milhões de hectares irrigados. Os números mostram a relevância que a agricultura irrigada tem na produção agropecuária nacional e para a segurança alimentar e nutricional da população brasileira, além de indicarem o grande potencial de crescimento.

Tomate, arroz, pimentão, cebola, batata, alho, frutas e verduras são exemplos de alimentos produzidos sob alto percentual de irrigação. E para esses cultivos, assim como para a produção de flores, pastagens e cuidados das áreas urbanísticas, o sistema por microaspersão é uma das opções mais eficientes, com custo benefício vantajoso para o produtor conduzir a sua atividade de forma rentável e ao mesmo tempo sustentável.

A Santeno, empresa localizada em Simões Filho, na Bahia, que tem o selo de tecnologia e qualidade Nortène, oferece ao mercado soluções inteligentes em irrigação, com produtos que geram economia de água e energia elétrica. São mangueiras fabricadas com polietileno para o método por microaspersão, indicadas para todo tipo de cultivo e para todas as regiões produtivas do Brasil, visando maior produtividade. “Unir redução de custos com maior potencial de produtividade é essencial em cultivos de alto valor agregado e que demandam muito investimento para se produzir”, ressalta Diego Schmidt, engenheiro agrônomo e inteligência de mercado da Santeno.

O sistema de microaspersão das mangueiras da marca direcionam a água 100% para a planta, com raio de alcance suficiente para que a irrigação aconteça de forma mais rápida. Além dessa vantagem, o sistema não exige bombas hidráulicas de alta pressão, dessa forma, o custo com energia elétrica pode ser até 50% menor. “As mangueiras são microperfuradas a laser, produzem jatos de água direcionados para cima, irrigando com uniformidade e não há desperdício de água”, completa o engenheiro.

Irrigação por microaspersão pode gerar economia de até 50% em energia elétrica
Foto: Divulgação

Custo benefício e comparativos

Para a instalação do sistema de microaspersão, o produtor não tem muitos obstáculos, garante Diego. “Ele não precisa de um grande projeto e dispor de alto custo financeiro, como em sistemas de irrigação com pivô central ou de aspersão comum. As mangueiras Santeno são de fácil instalação, manejo e remoção”, explica.

A empresa orienta apenas que o produtor tenha os dados da sua área, como de relevo do terreno, disponibilidade de água e de que fonte, se há pressão suficiente e, assim, ele define qual mangueira comprar, quantidade e conectores, além da bomba, podendo contar ou não com a consultoria de um agrônomo da região.

Irrigação por microaspersão pode gerar economia de até 50% em energia elétrica
Foto: Divulgação

Em termos percentuais, os custos por hectare com materiais e mão de obra necessários para um sistema completo de microaspersão da Santeno, são 30% a 40% mais baixos se comparados ao sistema de aspersão comum. Já em comparação à microaspersão por gotejo, a da Santeno chega a ser 50% mais econômica”, finaliza o engenheiro agrônomo.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com