Neloristas querem resgatar valor das pistas de julgamento

Neloristas querem resgatar valor das pistas de julgamento

PARTILHAR
Foto: Divulgação

Segundo os criadores da ANEB, nos últimos anos em função da “panaceia” dos números dos programas de melhoramento genético, características essenciais da raça foram esquecidas.

Recentemente um grupo de neloristas anunciou a criação da Associação do Nelore Brasileiro (Aneb), devido ao descontentamento com as direções que a raça vem tomando nos últimos anos. A proposta é resgatar a pista como referência na seleção da raça. Estão à frente desse movimento pecuaristas como Paulo Leonel, diretor do grupo Adir, com fazendas em São Paulo e Goiás, e Fernando Zamora, da fazenda Brasil, no Acre, presidente da entidade. Segundo o grupo, falta na pista de julgamento das exposições uma análise mais acurada das características raciais e funcionais.

Houve uma época em que a pista de julgamento de zebuínos era a forma de testar o máximo potencial produtivo da genética Nelore, diferente de hoje, em que o animal é tratado com ração concentrada e perde características antes naturais a ele, como facilidade de parto, habilidade materna e aprumos corretos.

Isso ocorreu nos últimos anos em função da “panaceia” dos números dos programas de melhoramento, sem a devida atenção a esses atributos. “A pista precisa voltar a ser o que era no passado”, afirma Leonel, diretor comercial a Aneb. “Nós precisamos de um animal com peso, padrão e equilíbrio.

“Queremos reconectar a pista com aqueles criadores que se afastaram dela por conta de todo o artificialismo praticado atualmente. Nas mostras homologadas pela ANEB, nós mostraremos o gado Nelore que o Brasil realmente precisa, ou seja, um animal com peso, padrão, equilíbrio e tipo normais ao gado Nelore de campo” , explica Fernando Zamora, proprietário da Fazenda Brasil e presidente da recém-criada Associação do Nelore Brasileiro (ANEB).

E você, o que acha do melhoramento genético que vem ocorrendo na raça Nelore?

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com