Pandemia transforma jeito de empresas atenderem os clientes

PARTILHAR
Alexandre Assis_Diretor de Vendas Valtra
Foto: Divulgação

Nas empresas ligadas ao agronegócio, assim como às demais da nossa economia, a proximidade ao cliente são peças fundamentais para o sucesso dos negócios.

Por Alexandre Vinicius de Assis* – A pandemia de coronavírus trouxe uma série de mudanças na rotina da humanidade. É quase impossível imaginar algum setor da sociedade, seja nas relações pessoais ou de trabalho, que tenha passado ileso aos impactos causados pelo vírus mais letal do século 21. E essas consequências também estão presentes na forma como as marcas se apresentam aos clientes.

Nas empresas ligadas ao agronegócio, assim como às demais da nossa economia, a proximidade ao cliente são peças fundamentais para o sucesso dos negócios. Mas esse êxito, desde a pandemia, está atrelado à velocidade como as companhias se adaptaram para atender à necessidade de seus compradores. E esse ajuste passa necessariamente pelo avanço em ferramentas tecnológicas.

A Valtra, especialista na concepção e fabricação de máquinas e implementos agrícolas e presente há mais de seis décadas no Brasil, agiu de forma rápida, adotando novas tecnologias e novas estratégias para, mesmo à distância, seguir próxima de seu cliente, o produtor rural. Um dos formatos implementados ao decorrer de 2020 foram as Salas Virtuais de Negócios.

O principal desafio desse modelo, contudo, era buscar alternativas que, de alguma maneira, reproduzissem uma abordagem de venda para produtos de campo, mas sem estar, de fato, no campo. Para quem não é familiar com o segmento, é importante lembrar que o formato tradicional de vendas de maquinários agrícolas normalmente acontece na lavoura. Produtores recebem em suas propriedades a visita de representantes de concessionários, esclarecem dúvidas e realizam test drives.

As Salas Virtuais de Negócios, dessa forma, foram idealizadas para garantir o contato próximo ao cliente, que tem a intenção de investir em maquinários de custo elevado. Nesse ambiente totalmente on-line, o comprador se conecta com representantes de concessionárias, técnicos e especialistas de fábrica para conhecer os produtos. Se a opção for pela compra, é possível fazer a conexão com o banco da fábrica e apresentar uma proposta de financiamento, por exemplo.

Entre abril de 2020 e abril de 2021, cerca de mil encontros virtuais foram realizados nesse formato, e 30% deles resultaram em vendas de equipamentos AGCO. Um outro efeito dessa migração para plataforma on-line é o acesso aos sites das marcas da empresa, que registraram aumento de 35% no ano passado.

As Salas Virtuais de Negócios, assim como as demais estratégias de comunicação on-line desenvolvidas pensando no perfil do produtor rural brasileiro e na realidade local de enfrentamento da pandemia, são ações que ajudam a impulsionar negócios. É uma iniciativa ganha-ganha em que a empresa segue se comunicando com clientes, entendendo e ouvindo as necessidades trazidas por eles; para os concessionários, que dão prosseguimento aos negócios e com maior atuação da fábrica; e para clientes, que, além de contar com um grupo multidisciplinar de profissionais para auxiliar na sua compra, estão em busca de inovação para atualizar seus equipamentos e, com isso, ampliar seus rendimentos no agronegócio que, mesmo diante das adversidades impostas pela pandemia, mantém sua pujança.

*Por Alexandre Vinicius de Assis, diretor de vendas da Valtra no Brasil

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.