Pecuarista mostra o verdadeiro “Nelore Manso”

Pecuarista mostra o verdadeiro “Nelore Manso”

PARTILHAR

Sabe aquela história do “nelore bravo” ou ” nelore sendo nelore”, isso é mito; Pecuarista goiano torna-se referência na seleção do “Nelore manso” no Pará. Veja!

A pecuária de corte brasileira conhece muito bem a raça Nelore, base do nosso plantel. Ela traz características de grande importância produtiva e reprodutiva em seu sangue. Entretanto, se criou a história do “nelore é animal de sangue quente” e é verdade, mas apesar do sangue quente, a docilidade é algo que faz parte do seu ser. Diante disso, pecuarista mostra o verdadeiro “Nelore Manso”, veja!

Nascido no estado de Goiás, onde trabalhava no ramo da madeira, Seo Anésio mudou-se para o Pará em 1994 com o objetivo de tornar-se pecuarista. Com a dedicação, mais do que mero criador, ele acabou se tornando uma referência no estado na seleção voltada para a docilidade da raça Nelore na Fazenda Colorado, no município de Breu Branco.

A engenheira agrônoma e originadora Vanessa Voloski, natural do Pará, contou a história de sucesso do criador Anésio Lourenço de Toledo no estado da Região Norte, confira os detalhes e se encante, ainda mais, pela raça Nelore!

“O Seo Anésio focou justamente naquele detalhe em que o gado Nelore costuma ser mais criticado, em que ele dá mais trabalho, que é no manejo. Normalmente o comportamento do gado Nelore é de ser um gado mais arisco, que dá trabalho, que pula cerca. […] Desde o início o seu trabalho, dentre todos os critérios avaliados no gado Nelore – padrão racial, morfologia, profundidade de carcaça, enfim – o Seo Anésio sempre priorizou matrizes e touros reprodutores com docilidade. Já no curral ele observava o comportamento das matrizes, o comportamento dos touros e os indivíduos que apresentassem qualquer sinal de ‘braveza’, ele já apartava e tirava do plantel dele”, contou Voloski.

A originadora detalhou que, entre 1994 e 2000, o pecuarista fazia terminação de gado em parceria. Já em 1999, comprou matrizes e, na vanguarda da tecnologia, começou a fazer o manejo reprodutivo com inseminação artificial focando no cruzamento industrial para a produção de gado de corte. Mais tarde, em 2010, passou a focar o trabalho na seleção do Nelore, avaliando os tourinhos produzidos no programa de melhoramento da ABCZ, a Associação Brasileira dos Criadores de Zebu.

“Agora, com mais de 20 anos de trabalho, sendo dez anos focados absolutamente na docilidade dos animais, o Seo Anésio colhe os frutos do seu trabalho excepcional junto aos filhos dele (Diego, Gustavo e Rafaela), que são médicos veterinários, e vão dar continuidade. A netinha dele já está acompanhando também, não tem medo do gado (foto abaixo), já brinca junto. É um trabalho que começou, deu certo e vai se prolongar por gerações”, reforçou Voloski.

Vanessa enviou um vídeo para exibição no programa de um dos filhos de Anésio, Diego, praticando a montaria num dos touros Nelore (veja na imagem abaixo).

Esse aqui eu não vendo, não. É bom demais gado manso, disse Diego na gravação.

A agrônoma detalhou ainda que os animais, totalmente calmos, não se assustam com a presença de humanos, se aproximando com facilidade e chegando até mesmo a brincar com as pessoas.

Além do sucesso na seleção de reprodutores, em que a demanda sempre aquecida pelos seus tourinhos valida os critérios utilizados, outros resultados da fazenda servem como termômetro para o trabalho que Anésio deu início na Fazenda Colorado. “

Além da docilidade, cabe uma observação: no último lote que ele terminou,de nelore manso, com tourinhos criados exclusivamente a pasto, com sal mineral, ele obteve 520 kg de peso vivo com animais de apenas 20 meses. Ou seja, não é só a docilidade, ele tem toda uma qualidade neste plantel”, reconheceu Voloski.

Com informações do Giro do Boi

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com