Pecuarista otimista mantém a arroba em R$ 205, confira!

Pecuarista otimista mantém a arroba em R$ 205, confira!

PARTILHAR
Confinamento e Boitel VFL BRASIL. Foto: Marcella Pereira

As cotações da carne bovina também se mantiveram estáveis no fechamento desta sexta-feira. Tendência é que mercado se aqueça na primeira quinzena.

A boa notícia é que, na opinião de analistas de mercado, o início de março pode aumentar o apetite comprador das indústrias e torná-las mais dispostas a ajustar positivamente seus preços ofertados para o boi gordo.

A arroba do boi gordo continuou estável nesta sexta-feira, 28. De acordo com o analista Fernando Henrique Iglesias, da Safras & Mercado, a morosidade no mercado físico após o Carnaval não é uma surpresa. “No geral os frigoríficos ainda não reúnem as condições necessárias para pressionar o mercado de maneira efetiva”, diz.

No aplicativo do Agrobrazil, parceiro do Compre Rural, as cotações do boi gordo estão em alta. Pecuarista de Socorro/SP, teve sua arroba negociada a R$ 202/@ com 30 dias para pagamento e data de abate para 03 de março. Já em Nova Andradina/MS, o boi gordo saiu por R$ 190,00/@ com 30 dias para pagamento e data do abate para o dia 04 de março. Ainda em São Paulo, valor encontrado em Pirapozinho, para o boi padrão foi de R$ 205/@ com pagamento a vista e abate no dia 06 de março.

A média no app do Agrobrazil, foi de R$ 201,01/@ para o estado de São Paulo. Durante a semana, tivemos negócios de até R$ 207,00 por arroba no estado. Na média do Brasil, temos as cotações firmes em um patamar de R$ 200/@, demonstrando uma excelente tendência para o mês de março, que abre com uma maior necessidade dos frigoríficos de recompor as escalas.

Segundo Safras&Mercado

Segundo o especialista, isso é uma consequência da ótima capacidade de retenção dos pecuaristas, em linha com a boa qualidade das pastagens. “Para a primeira quinzena de março, é possível que alguma alta seja verificada, uma vez que a entrada dos salários motiva a reposição ao longo da cadeia produtiva”, acrescenta Iglesias.

  • Na capital de São Paulo, os preços seguiram em R$ 203 por arroba no mercado à vista.
  • Em Uberaba (MG), continuaram em R$ 194 por arroba.
  • Já em Dourados (MS), seguiram em R$ 193.
  • Em Goiânia (GO), a arroba do boi gordo continuou cotada a R$ 193.
  • Por fim, em Cuiabá (MT), permaneceu em R$ 184.

Atacado

O mercado de carne bovina também teve um dia de preços estáveis. “Apesar da queda verificada nesta semana, o início do mês de março tende a ser de pressão de alta com o consumidor médio mais capitalizado”, diz Iglesias.

Assim, o corte traseiro seguiu em R$ 14,25 o quilo. A ponta de agulha permaneceu em R$ 11,40 por quilo. Já o corte dianteiro seguiu em R$ 12,00 por quilo.

Expectativas e Novidades

Outra novidade em fevereiro veio do exterior: Os EUA decidiram reabrir o seu mercado de carne bovina in natura ao Brasil, depois de um embargo imposto desde junho de 2017. “Essa decisão endossa a qualidade do produto brasileiro e pode trazer maior demanda para a carne nacional entre os diversos países globalmente”, avaliam os analistas da Informa Economics FNP, de São Paulo.

Porém, ainda relação ao mercado externo, a preocupação atual gira em torno da China, que se mantém praticamente fora do mercado mundial de importação de carne bovina devido sobretudo ao surto do novo coronavírus no país.  

Na avaliação dos analistas do Rabobank, embora os chineses continuem postergando as suas compras internacionais de proteína animal, uma hora o país irá fazê-lo – provavelmente a partir do segundo semestre do ano. Isso porque, em algum momento, o gigante asiático necessitará de todas as maneiras dos fornecedores de carnes, para cobrir o rombo na oferta interna ocasionado pela epidemia da peste suína africana, que dizimou o seu rebanho de porcos.

Carne no varejo paulista 

O preço da carne bovina negociada no mercado atacadista da Grande São Paulo seguiu caminho parecido ao do boi gordo, de acordo com o Cepea. A carcaça casada registrou média de R$ 13,77/kg (à vista, valor também deflacionado) na parcial deste mês, com altas de 2,7% em relação ao valor de janeiro e de 24% frente à cotação de fevereiro do ano passado.

Diante disso, a diferença entre os preços da arroba bovina e da carne se cresceu, para R$ 9,77/@, com vantagem para a carcaça casada negociada no atacado.

Compre Rural com informações do Agrobrazil, Safras&Mercado e FNP

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com