Pecuarista vai para cadeia após roubo de R$ 230 mil em gado

PARTILHAR
Foto: Divulgação/6ª DRPC

Policiais investigam furtos de gados registrado no município de Presidente Vencenlau, estado de São Paulo; Pecuarista é acusado de furto de 41 cabeças de gado!

Ao cumprir dois mandados de prisão expedidos pela comarca de Presidente Venceslau (SP), policiais civis do SIG (Setor de Investigações Gerais) de Três Lagoas e equipes do Estado de São Paulo descobriram que um dos acusados, de 43 anos, conhecido como Medeirinho, empresário pecuarista, já estava preso.

Acusado de furto de 46 bovinos avaliados em R$ 230 mil em julho do ano passado, Madeirinho, morador de Três Lagoas, já estava preso pelo crime da mesma natureza ocorrido no município de Inocência, quando foram levados 30 bovinos de uma propriedade rural, em fevereiro deste ano. Ele está preso numa penitenciária de Cassilândia e vai responder por mais um caso de furto.

O segundo mandado de prisão foi cumprido contra um rapaz, de 23 anos, na manhã desta terça-feira, por volta das 6h, no condomínio Alexsander, no residencial Orestinho, por participação no roubo de uma caminhonete, em fevereiro deste ano. Não há informação se os dois casos têm relação.

Polícia Civil localiza ossadas de bovinos furtados

A Polícia Civil, por meio da 79ª Delegacia de Polícia de Lizarda/Rio Sono, cumpriu nesta terça-feira, 20, mandados de busca e apreensão na zona rural da cidade de Rio Sono. O objetivo da operação, denominado “Sepulcro Bovino”, foi localizar ossadas de bovinos furtados em uma fazenda localizada a cerca de 60 km da cidade de Novo Acordo e, dessa forma, combater as atividades clandestinas referentes a furto de gado na região.

Conforme o delegado-chefe da 6ª Delegacia Regional de Polícia Civil (6ª DRPC) de Porto Nacional, Túlio Pereira Motta, a vítima que reside fora do estado do Tocantins teria sentido falta de cerca de 70 animais, motivo pelo qual registrou boletim de ocorrência na Delegacia Virtual. Em seguida, a vítima a 79ª Delegacia de Polícia e denunciou o caso. A partir daí, foram realizadas diligências, as quais foram exitosas, pois as ossadas dos bovinos foram localizadas, enterradas, nas proximidades da sede da propriedade da vítima, distante 60 quilômetros do perímetro urbano de Novo Acordo.

Foto: Divulgação/6ª DRPC
Foto: Divulgação/6ª DRPC

Para localizar o cemitério de bovinos foi necessária a utilização de uma retroescavadeira. O Delegado que comandou a operação, Israel Andrade Alves, esclareceu que as investigações indicaram que a subtração dos animais estaria acontecendo há alguns meses e que a carne estava sendo distribuída para moradores do entorno da fazenda onde as ossadas estavam enterradas. Ainda segundo o Delegado, o ambiente no qual se dava a desossa é completamente insalubre, situação que coloca em risco a saúde de quem consumiu a carne.

Intensificadas

O delegado Túlio Pereira Motta informou que as ações de combate ao furto de gado estão sendo intensificadas em toda a circunscrição da regional. Atualmente compõe a regional as cidades de Oliveira de Fátima, Fátima, Santa Rita, Brejinho de Nazaré, Ipueira, Silvanópolis, Monte do Carmo, Porto Nacional, Ponte Alta, Mateiros, Pindorama, Lagoa do Tocantins, São Félix, Aparecida do Rio Negro, Santa Tereza, Novo Acordo, Lizarda e Rio Sono.

Foto: Divulgação/6ª DRPC
Foto: Divulgação/6ª DRPC

Segundo Túlio Pereira Mota, recentemente dois homens foram presos na cidade de Brejinho de Nazaré também pela prática de furto de gado. Conforme o delegado, os homens estavam inclusive utilizando documentação pessoal falsa para poder cometer tais delitos. O Delegado lembrou a magnitude do rebanho de bovinos do Tocantins e enfatizou que as atividades criminosas não podem afetar a economia do Estado e a saúde da população”.

A operação “Sepulcro Bovino” contou com o apoio da 72ª Delegacia de Polícia de Luzimangues e da 7ª Divisão Especializada de Repressão ao Crime Organizado (7ª DEIC de Porto Nacional).

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com