“Picanha Bolsonaro” de R$ 1.799/kg é de linhagem nobre

PARTILHAR

Churrasco de Bolsonaro tem picanha de R$ 1.799,99 o quilo; Mas a carne tem justificativa para ser cara e se destaca no mercado com arroba de quase R$ 400,00!

Uma picanha bovina que custa R$ 1.799 o quilo viralizou após um post nas redes sociais indicar que ela esteve entre os cortes assados em um churrasco para o presidente Jair Bolsonaro. Mas, afinal, de onde vem essa carne e por que é tão cara? Trouxemos os detalhes sobre o assunto que movimentou a internet e o meio político!

A carne que é consumida por uma pequena parcela da população, tem seus motivos para ter o preço tão elevado. o marmoreio (gordura entremeada) da carne é um dos principais fatores que fazem dessa carne uma verdadeira iguaria no mercado. Confira abaixo o preço que é comercializado a arroba deste animal e os detalhes da Raça Wagyu!

Tudo começou a cerca de 25 anos pela empresa Yakult, quando foi introduzida no país a raça Wagyu, ela é uma raça de gado japonesa que está conquistando o Brasil. Wagyu, que significa gado (gyu) do Japão (wa), é uma das carnes mais valorizadas no mercado gastronômico internacional. Com um aroma único, textura macia e suculenta, é considerada como a carne mais cara e saborosa do mundo.

Segundo as informações que foram obtidas pela nossa equipe, uma peça de picanha, como a da imagem do Bolsonaro, tem em média 350 gramas e custa cerca de R$ 600. O churrasco que foi feito por um grande nome da carne, o assador Churrasco do Tche, para o presidente Bolsonaro, teve pelo menos duas dessas peças, totalizando R$ 1.200 em 700 gramas de carne.

Mas, afinal de contas, qual o motivo que faz com que essa carne seja negociada por um preço tão alto no mercado? Pois bem, vamos esclarecer esses fatos. Para isso, precisamos voltar lá atrás, onde se inicia a produção destes animais.

A raça não é originária do Brasil, sendo assim, é necessário estar atento ao manejo de criação e, claro, na disponibilidade de animais com essa genética, sendo assim, estes são dois primeiros fatores que encarecem a produção. Além disso, por se tratar de animais com alto valor genético e grande exigência nutricional, o custo de produção se torna mais caro para as propriedades que fazem a criação deste animais.

Na negociação abaixo, é possível verificar que existe uma grande valorização desses animais por parte da indústria frigorífica, quando disponíveis no mercado, já que ela é considerada uma iguaria e em muitos casos já é vendida antes mesmo dos animais serem abatidos.

Criador de Pirapozinho, no estado paulista, que possui criação dos animais informou a negociação no app da Agrobrazil, apontando que o preço base para o lote de novilhas foi de R$ 318,00/@ e uma bonificação de R$ 79,00/@ por se tratar de um gado Wagyu. Diante disso, estamos falando de uma arroba de quase R$ 400,00.

O que é WAGYU?

Wagyu é uma raça bovina originada do Japão. É considerada a carne bovina
mais saborosa e mais cara do mundo. No Japão, a carne de Wagyu também é conhecida como “Kobe beef”, uma referência à cidade japonesa de Kobe, de onde o gado se origina.

Lá, a raça recebe massagem, cerveja e até mesmo saquê para manter a qualidade da carne, fazendo com que seja conhecido como a Louis Vuitton das carnes e sua principal peculiaridade é o alto nível de marmoreio – a gordura intramuscular que confere maciez e sabor especial à carne -. Toda essa rigidez e cuidado no processo de criação do corte reflete diretamente no preço pago pelo consumidor.

No Brasil, seu preço pode variar de R$300,00 a R$1.450,00 o quilo. A picanha e o contrafilé são as carnes mais procuradas no mercado.

Durante 10 anos a raça ficou restrita à criação da Yakult que investia na genética animal para, então, abrir espaço para que novos produtores pudessem adquirir seus animais.

Hoje existem cerca de 50 criadores de wagyu no Brasil. O rebanho total é de pouco mais de cinco mil animais.

Devido ao custo e as condições estruturais do Brasil, o manejo do Wagyu se dá de outras maneiras. Apesar de não seguir os processos do Japão, a qualidade e rigidez nos padrões de criação da raça seguem os mesmos.

Para atingir o marmoreio adequado da carne, há um cuidado mesmo antes do nascimento do bezerro. Aqui no Brasil, por exemplo, eles não recebem massagem, se alimentam de cerveja ou saquê, mas possuem uma dieta equilibrada e um tempo certo para ficar no pasto, entrar em isolamento e atingir o grau perfeito de marmoreio.

Cuidado na comercialização

A Associação Brasileira dos Criadores de Bovinos das Raças Wagyu (ABCWagyu) observa que, para a carne ser chamada e vendida como wagyu no Brasil, ainda que importada, precisa de certificação. 

“A certificação é uma ferramenta imprescindível tanto para consumidores quanto para criadores, garantindo que é uma carne diferenciada em relação ao marmoreio e sabor. O wagyu tem propriedades nutricionais diferentes das demais carnes, já que seu marmoreio é rico em gordura insaturada, ou seja, a ‘boa gordura’ também encontrada no azeite e peixes, além de ser muito rico em ómega 3 e 6 ”, explica a diretora de marketing da ABCWagyu e criadora da raça, Tatiana Caruso. 

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com