PMs que mataram caçadores deram mais de 43 tiros, veja!

PARTILHAR
policia-do-mt
Foto: Reprodução

PMs envolvidos em ação que matou três trabalhadores em fazenda de Cristalina relatam ter dado 43 tiros; Informação está registrada no boletim de ocorrência. Confira abaixo!

Três policiais militares envolvidos na ação que deixou três trabalhadores rurais mortos em uma fazenda de Cristalina, no Entorno do Distrito Federal, relataram, no boletim de ocorrência, ter atirado 43 vezes contra as vítimas. Os agentes alegaram que houve um confronto, uma vez que foram recebidos a tiros. Porém, a patroa das vítimas acredita que houve um engano, pois o trio era considerado pacífico e havia saído para caçar javalis.

O caso aconteceu na noite da última quarta-feira (25). Durante a ação, morreram Francisco da Silva Chaves, de 41 anos, Nelson da Silva Cardoso, de 38, e Aleff Nunes Souto, de 22.

Em nota divulgada no dia posterior ao crime, a assessoria da PM informou que, ao checar uma situação de roubo na região, “se deparou com indivíduos armados que fizeram disparos em direção aos policiais, vindo a atingir a viatura, e que, neste momento, desembarcaram e fizeram o revide”. Destacou também que o caso foi apresentado e será apurado pelas autoridades competentes.

A Polícia Civil investiga o caso. O delegado responsável pelo inquérito, Pedro Manuel Democh, disse que, “em respeito ao sigilo das investigações”, não pode passar informações detalhadas a respeito.

Somente a perícia irá constatar quantos disparos atingiram cada uma das vítimas.

Frrancisco, Aleff e Nelson formam mortos durante ação da PM em fazenda de Cristalina — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Denúncia de furto

Na ocorrência, os PMs relatam que foram acionados por um homem, que alegava que a propriedade dele estava sendo alvo de um furto. Ele disse que havia de “13 a 14 pessoas armadas” na fazenda. Os policiais relataram que, no dia anterior, tinham sido registrados furtos de gado na região.

No caminho até a propriedade, conforme os policiais, a equipe se deparou com duas motos e três pessoas, foi “recebida a tiros e realizado o devido revide”. Narram ainda que o carro da corporação, uma caminhonete VW Amarok, foi alvejada.

Os policiais contaram que o trio foi baleado e que foi “possível visualizar outras pessoas correndo para dentro da mata”, mas não souberam precisar quantas. Relataram ter levado as vítimas ao hospital, mas elas não resistiram.

Dois policiais afirmaram ter atirado com pistolas calibre 9 milímetros, sendo que um fez dez e outro, oito disparos. O terceiro militar atirou 25 vezes com uma carabina calibre .40. Foram apreendidas três armas que, segundo a PM, estavam com os trabalhadores.

Protesto

Parentes e amigos das vítimas fizeram um protesto pedindo justiça pela morte do trio. Eles fizeram uma carreata que passou pelos principais pontos da cidade. Os corpos foram sepultados na quinta-feira (26).

Uma das proprietárias da fazenda, que preferiu não se identificar, afirmou que os funcionários nunca tiveram qualquer problema, eram pais de família e profissionais dedicados. Ela acredita que eles estavam “no lugar errado, na hora errada”.

Com informações do G1

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.