Três caçadores de javali são mortos pela polícia!

Três caçadores de javali são mortos pela polícia!

PARTILHAR
Frrancisco, Aleff e Nelson formam mortos durante ação da PM em fazenda de Cristalina — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Corporação diz que foi acionada para checar roubo de gado, foi recebida a tiros e revidou. Porém, proprietários alegam que trio, que pode ter sido confundido, havia ido caçar javalis!

Três homens foram mortos a tiros durante uma ação da Polícia Militar em uma fazenda de Cristalina, no Entorno do Distrito Federal. A corporação afirma que foi ao local averiguar uma denúncia de roubo de cabeças de gado, foi recebida a tiros e revidou. No entanto, os donos da propriedade alegam que o trio trabalhava no local de carteira assinada, havia saído para caçar javalis e acreditam que eles podem ter sido assassinados por engano. A Polícia Civil apura o caso.

A ocorrência aconteceu na noite de quarta-feira (25). Durante a ação, morreram Francisco da Silva Chaves, de 41 anos, Nelson da Silva Cardoso, de 38, e Aleff Nunes Souto, de 22.

Em nota, a assessoria da PM informou que ao checar uma situação de roubo na região, “se deparou com indivíduos armados que fizeram disparos em direção aos policiais vindo a atingir a viatura, e que neste momento desembarcaram e fizeram o revide”. Destacou também que o caso foi apresentado e será apurado pelas autoridades competentes (leia a íntegra ao final do texto).

‘Lugar errado, hora errada’

No entanto, os donos da terra, onde é feito o cultivo de grãos, acreditam que a morte do trio pode ter ocorrido por engano. Uma das proprietárias, que preferiu não se identificar, afirmou que nenhum deles nunca teve qualquer problema, eram pais de família e profissionais dedicados – Francisco trabalhava no local havia 11 anos.

Ela contou que o trio havia saído em motos para caçar javalis na região e levaram armas específicas para a atividade. A mulher diz que não acredita que seus funcionários tenham atirado contra os policiais.

“Eles não eram bandidos. Acho que deram azar. Eles estavam levando o porco [abatido] junto com eles nas motos. Não estou afirmando nada, mas acredito que eles estavam no lugar errado, na hora errada”, afirmou ao G1.

“A gente acredita que teve um despreparo e um excesso cometido por algum engano. Nessa possibilidade eu não posso acreditar [que eles atiraram contra os policiais, porque são pessoas extremamente pacíficas. Foi lastimável o que aconteceu”, complementa.

A mulher afirma que não foi ela quem denunciou o roubo de gado à polícia e que o chamado deve ter sido feito por algum vizinho.

“Nós não temos nada contra a patrulha, nós precisamos dela lá. Eles receberam uma denúncia de que havia matado e roubado vacas roubando na região. Mas com certeza absoluta não eram os nossos funcionários que estavam fazendo isso”, desabafa.

Investigação

De acordo com a assessoria da Polícia Civil, um inquérito já foi instaurado para investigar o caso. Relatou ainda que os policiais militares foram até a delegacia e prestaram depoimento. A corporação trabalha com a hipótese de ” legítima defesa por parte da PM”.

No relato da ocorrência, feito com base no que foi dito pelos PMs, conta que uma pessoa acionou a polícia alegando sobre o furto de gado e que tinha visto “pessoas armadas na propriedade”.

O boletim diz que os baleados chegaram a ser levados para uma unidade de saúde, mas não resistiram. Foram solicitados exames periciais do local do fato e das armas dos policiais e dos envolvidos.

Nota da PM:

A Polícia Militar de Goiás informa que, foi realizado registro de ocorrência na noite do dia 25/11/2020, aonde uma equipe fora empenhada para averiguar situação de roubo em propriedade rural na cidade de Cristalina. Ao chegar próximo do local, a equipe deparou com indivíduos armados que fizeram disparos em direção aos policiais vindo a atingir a viatura, e que neste momento desembarcaram e fizeram o revide. Vale ressaltar que o empenho das viaturas na região se deu exatamente pelos roubos de gado ocorridos nos dias anteriores em que foram mortos e subtraídos diversos semoventes das propriedades vizinhas. Os envolvidos na ocorrência apresentaram os fatos a autoridade competente que ficará a cargo das investigações.

Esta assessoria informa ainda, que o fato será apurado e reitera o compromisso com a garantia da Segurança Pública da sociedade goiana.

Com informações do G1

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com