Preço da arroba do boi dispara e passa de R$ 180

Preço da arroba do boi dispara e passa de R$ 180

PARTILHAR
Confinamento e Boitel VFL BRASIL. Foto: Marcella Pereira

Preços do boi voltam a disparar, elevando valor da carne no atacado. Alta do boi em 19 praças pecuárias, São Paulo teve arroba do boi acima de R$ 180!

O mercado físico do boi gordo segue com preços em alta nas principais praças de produção e comercialização do país. Segundo o analista de Safras & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, o quadro de escassez de oferta é determinante para justificar toda essa movimentação nas últimas semanas, com recordes  superados diariamente.

“A demanda se mostra bastante aquecida, com exportações em bom nível, além de toda a demanda que marca o último bimestre do ano. Com isso, não há sinais de mudança de perfil no curto prazo”, assinalou. 

Os frigoríficos se deparam com encurtamento de seus estoques, natural em um cenário de demanda aquecida em que há uma clara dificuldade na composição das escalas de abate.

Em São Paulo, os preços passaram de R$ 180,00 a arroba para R$ 182,00 a arroba. Em Minas Gerais, preços de R$ 180,00 a arroba, contra R$ 176,00 a arroba na sexta-feira. Em Mato Grosso do Sul, preços em R$ 173,00 a arroba, contra R$ 171,00 – R$ 172 a arroba. Em Goiás, o preço permaneceu em R$ 170,00 a arroba, em Goiânia. Já no Mato Grosso o preço subiu de R$ 159,00 a arroba para R$ 161,00 a arroba.  

Atacado

No atacado, os preços da carne bovina dispararam. “Os frigoríficos se deparam com encurtamento de seus estoques, natural em um cenário de demanda aquecida em que há uma clara dificuldade na composição das escalas de abate.

Com isso, os preços da carne bovina também disparam, com espaço para novos reajustes no curto prazo. Por sua vez, a tendência é que esse movimento respingue nas demais proteínas de origem animal, dada a saturação do consumidor médio que tende a buscar produtos que causem um menor impacto em sua renda”, disse Iglesias.  

O corte traseiro teve preço de R$ 15,00 por quilo, ante R$ 14,00 por quilo na sexta-feira. A ponta de agulha passou de R$ 9,30 por quilo para R$ 10,00 por quilo, enquanto o corte dianteiro subiu de R$ 9,40 por quilo para R$ 10,00 por quilo. 

Câmbio

O dólar comercial encerrou a sessão de hoje com baixa de 0,62%, sendo negociado a R$ 4,142 para venda e a R$ 4,140 para compra. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 4,138 e a máxima de R$ 4,172.

Segundo a Scot Consultoria

Poucos negócios no mercado do boi gordo na última segunda-feira (11/11). Os compradores esperavam uma definição do mercado.

Apesar disso, a cotação subiu em 19 das 32 praças pecuárias pesquisadas pela Scot Consultoria, considerando o preço à vista. 

Em São Paulo, a cotação do boi gordo subiu 1,1% na comparação com sexta-feira (8/11), e ficou cotado em R$181,00/@, à vista, sem desconto, R$180,50 com desconto do Senar, e com desconto do Funrural e Senar a referência está em R$178,50/@.

Destaque para o Rio de Janeiro e para a região sudoeste de Mato Grosso, onde a cotação do boi gordo subiu 2,7% e 1,9%, respectivamente, na comparação dia a dia. 

Também merece atenção o sul de Goiás, onde a alta de preço foi de 5,8% desde o início no mês, e 1,8% na comparação com sexta-feira. 

Compre Rural com informações da Scot Consultoria e Canal Rural

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com