Preço da carne caiu e é hora de garantir o churrasco!

Preço da carne caiu e é hora de garantir o churrasco!

PARTILHAR
Foto Divulgação.

A maior oferta de carne nas indústrias fez com que os preços do produto perdessem força. Desse modo, com queda no preço da carne, maiores volumes devem ser adquiridos.

Depois de 12 semanas de altas, ao que tudo indica, os preços da carne alcançaram um teto e pararam na subida. Nos últimos sete dias, na média de todos os cortes pesquisados pela Scot Consultoria, houve praticamente estabilidade, com retração de 0,1% na média dos cortes.

A consequência da decolagem dos preços das últimas semanas foi a diminuição do ímpeto de compras da população. Com menos vendas na ponta final da cadeia, a demanda do setor varejista esfriou e as câmaras frias dos frigoríficos ficaram um pouco mais cheias.

Assim, a maior oferta de carne nas indústrias fez com que os preços do produto perdessem força. Cenário observado também na carne com osso, que registrou queda de 5,2% na comparação diária.

Contudo, até o final deste mês, a melhora da demanda deve ser mais consistente com a expansão da massa salarial e as confraternizações de final de ano.  

Alta nos preços das carnes puxa inflação em novembro

A disparada história do boi gordo no mês passado teve reflexo direto no aumento da inflação oficial brasileira em novembro, que ficou em 0,51% no período, segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgados nesta sexta, 6 de dezembro.

Foi o maior resultado para novembro desde 2015, quando o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) foi de 1,01%. No acumulado de 12 meses até novembro, o IPCA subiu 3,27%, ante alta 2,54% do mês anterior. Já no acumulado do ano, a taxa atinge 3,12%.

A aceleração no grupo alimentação e bebidas foi puxada, principalmente, à alta das carnes (8,09%).

No mês passado o valor do boi gordo subiu mais de 35%, puxado pela escassez de oferta e pela forte demanda da China pela carne bovina, depois do surto da peste suína africana, que dizimou o rebanho de porcos do país.

Segundo o IBGE, entre os nove grupos de produtos e serviços pesquisados, sete tiveram alta em novembro. Despesas pessoais (1,24%), alimentação e bebidas (0,72%), e habitação, que passou de uma deflação de 0,61% em outubro para alta de 0,71% em novembro.

Durante transmissão ao vivo nas redes sociais, o presidente justificou a alta pela “entressafra”. Bolsonaro diz que preço da carne vai diminuir, confira!

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta segunda-feira, 9, que o preço da carne no mercado brasileiro deve cair. Bolsonaro justificou a alta pela “entressafra”. “É natural nessa época do ano a carne subir por volta de 10%. Subiu um pouco mais, tendo em vista as exportações”, disse o presidente. Bolsonaro e a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Tereza Cristina (DEM) participaram de uma transmissão nas redes sociais na manhã desta segunda-feira.

A ministra disse que a alta é “temporária”. “O senhor pode garantir à população que nós temos o maior rebanho comercial do mundo. Isso foi um período, uma seca, a entressafra do boi, mas a arroba já baixou para o produtor e agora o preço precisa baixar na gôndola”, disse ela.

A ministra da Agricultura também anunciou que será editada amanhã uma medida provisória que trata da regularização fundiária. “Na Amazônia, temos pequenos produtores, nós temos 600 mil produtores, pequenos agricultores, que precisamos colocar no mesmo patamar dessa agricultura produtiva que temos já em parte do Brasil. Esse é o seu desafio. Nós, amanhã, vamos lançar uma MP de regularização fundiária para montar a base para esse desenvolvimento. Sem isso não conseguirmos chegar nem na Amazônia, nem no Centro-oeste, nem no Nordeste nessa tecnologia e nessa agricultura sustentável”, declarou a ministra.

Compre Rural com informações da Scot Consultoria.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com