Preço do boi bate R$ 225/@, vender ou esperar? Veja!

Preço do boi bate R$ 225/@, vender ou esperar? Veja!

PARTILHAR
Foto: @diego.arrudas

O preço do boi em São Paulo bateu R$ 225/@, um novo patamar conquistado e que deve permanecer, momento de vender ou esperar?

Mercado interno ajuda a por pressão no boi gordo, chegada do salário e auxílio emergencial devem trazer maiores demandas nos próximos dias. Forte alta nos preços do boi gordo reflete escassez de oferta de animais terminados, além da maior demanda por parte das exportações nos últimos dias. Com isso, o preço do boi subiu, momento de vender ou esperar?

Esse cenário tem emplacado forte pressão altista nas cotações da boiada, movimento que deve se manter ao longo dessa semana, já que, com a entrada de massa salarial de parte da população e a retomada gradual das atividades em alguns centros urbanos, espera-se que o consumo doméstico de carne bovina avance.

“Há uma lacuna de oferta no mercado, devido ao esgotamento do gado terminado a pasto e o atraso na entrada dos primeiros lotes oriundo de confinamentos”, informa a consultoria da FNP

Preços informados pelos pecuaristas

Quando olhamos a evolução dos preços no mês de junho, temos uma valorização de quase R$ 17 nos preços da arroba, ou seja, na praça de São Paulo, segundo a média da Agrobrazil, os preços saltaram de R$ 201,44/@ em primeiro junho, para R$ 218,31/@ no fechamento do dia 30, ontem.

Os negócios abriram o dia com mercado aquecido e preços sendo negociados acima da referência, R$ 220/@ para animais padrão China. Em Valparaíso/SP, pecuaristas informaram negócios de R$ 225/@ com prazo de 3 dias para pagamento e abate para o dia 03 de julho. Já em Sales/SP, tivemos o mesmo preço com pagamento à vista e abate para o dia 07 de julho.

Preços para o mercado interno seguem pressionados, com frigoríficos de menor porte estreitando as suas margens para oferecer melhor preços, buscando garantir as escalas de abate. Esse cenário traz maior sustentação nos preços da arroba para o pecuarista.

Vender ou esperar?

Como diz o provérbio “Mais vale um pássaro na mão do que dois a voar”, momento é de grande otimismo para o pecuarista, os preços nunca estiveram tão atrativos nesta época do ano. Diante disso, e buscando entender melhor o mercado e quais os impactos que podemos ter no médio prazo, fica a dúvida: vender ou esperar?

Com isso, o curto prazo traz fatores que sustentam o viés de alta no preço da arroba, seguido pela retomada das atividades econômicas no país e chegada do salário e auxílio emergencial do governo que impactam positivamente no consumo da carne no mercado interno. Além das novas aberturas de mercado para a carne brasileira.

No médio prazo, alguns pontos podem trazer uma desaceleração nessa alta observado nos últimos dias. Segundo informações de alguns analistas, os chineses podem embargar alguns frigoríficos, além da imposição de preços menores na tonelada da carne que vem sendo debatida entre os compradores e fornecedores. Somado a isso, temos a chegada da boiada do primeiro giro do confinamento, ainda não se sabe o volume nem qual seria o impacto dessa maior oferta no mercado.

Diante de tudo que foi dito, momento é de cautela e de aproveitar as oportunidade oferecidas pelo mercado no momento atual. Se as suas contas estão fechando e o lucro está satisfatório, momento de concretizar as suas vendas, não conte com o “ovo que a galinha não botou”.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com