Produção de carne na China dispara 29%

PARTILHAR
Foto: Divulgação

Produção de carne suína na China subiu 29%, recuperando a maior parte da produção perdida durante um surto devastador de peste suína africana dois anos antes.

A produção de carne suína da China em 2021 saltou 29% em relação ao ano anterior, mostraram dados oficiais nesta segunda-feira (17), recuperando a maior parte da produção perdida durante um surto devastador de peste suína africana dois anos antes.

A produção anual atingiu 52,96 milhões de toneladas no ano passado, pouco abaixo das 53,4 milhões de toneladas produzidas em 2017, um ano antes de a doença suína começar a matar porcos no maior produtor mundial de carne suína. A doença havia eliminado cerca de metade das fazendas de criação até 2019.

A recuperação ocorre depois que Pequim pediu uma retomada urgente da produção de carne suína em meados de 2019 e liberou subsídios para apoiar os criadores, desencadeando uma onda de investimentos em novas fazendas de grande escala. A recuperação na produção veio antes do que muitos previam.

Os números do Bureau Nacional de Estatísticas estiveram em linha com as expectativas e apontam para um crescente excesso de oferta que pesa sobre os preços desde meados de 2021.

Embora a produção de carne suína esteja de volta aos níveis “normais”, a demanda ainda é fraca devido aos frequentes surtos de COVID-19.

Os preços da carne suína PORK-CN-TOT-D estão atualmente 60% mais baixos do que há um ano. Eles caíram este mês mesmo no período que antecedeu o feriado do Ano Novo Lunar em 1º de fevereiro, que normalmente estimula a forte demanda por carne.

“O mercado não é o mercado de vários anos atrás. Ele precisa se reequilibrar”, disse Pan Chenjun, analista sênior do Rabobank, acrescentando que a produção pode ser ainda maior em 2022 com base no atual rebanho reprodutor.

A produção de carne suína caiu mais de 20% em 2019, depois que a incurável doença da peste suína africana atingiu a China em meados de 2018 e destruiu fazendas em todas as províncias por muitos meses depois.

Embora ainda infectem suínos, os produtores aumentaram as medidas de higiene e também se tornaram melhores em detectá-lo e retardar sua propagação quando ele chegar a uma fazenda.

A produção de carne suína subiu para 13,79 milhões de toneladas no período de outubro a dezembro, de 13 milhões de toneladas no mesmo trimestre do ano anterior, segundo cálculos da Reuters com base em dados do departamento de estatísticas.

Foi o maior volume trimestral desde o primeiro trimestre de 2019, quando os agricultores abateram rebanhos inteiros para evitar o custo das duras medidas impostas para controlar a propagação da peste suína.

A China abateu 671,28 milhões de suínos em 2021, um aumento de 27% em relação ao ano anterior, mostraram os dados.

O rebanho suíno nacional atingiu 449,22 milhões de cabeças no final de dezembro, ante 437,64 milhões de cabeças no final de setembro.

A produção de aves também aumentou, subindo 0,8% em 2021 para 23,8 milhões de toneladas. A produção de carne bovina aumentou 3,7%, para 6,98 milhões de toneladas.

Fonte: Reuters

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com