Qual o tamanho ideal da partícula na silagem?

Qual o tamanho ideal da partícula na silagem?

PARTILHAR
Qual o tamanho ideal da partícula na silagem? Foto Divulgação.

Sempre ouviu que é entre 1 e cm? Pois é, infelizmente é uma maneira bem simplista de fazer a recomendação. Vamos nos atentar aos detalhes para garantir o lucro!

Neste momento, muitos produtores estão colhendo o milho para silagem ou irão colher a partir do próximo mês. Quando a colhedora vai para o campo, a equipe necessita decidir como a máquina irá processar a planta de milho, gerando o que chamamos de tamanho de partículas.

No passado, ouvíamos a recomendação de 1 cm, 2 cm, 3 cm e por vai…, ou seja, uma maneira bem simplista de se resolver uma questão que não é tão simples assim. Afinal de contas, como devo regular a colhedora?

Se as tuas vacas recebem silagem apenas como “suplementação” ao pasto, ou seja, não estão confinadas, a única missão é regular a máquina para que os grãos sejam processados, podendo inclusive pulverizar as partículas.

Contudo, se as tuas vacas encontram-se confinadas o desafio é maior. Por que? Do campo até chegar ao cocho, a silagem terá que interagir com diversos componentes. O primeiro é o tipo de colhedora (autopropelida ou tracionado por trato). Colhedoras autopropelidas possuem os recursos que a nutrição de ruminantes requer atualmente, enquanto as colhedoras tracionadas se limitam a menos tecnologia.

Depois de pronta, a silagem será removida do painel e, neste momento, a remoção pode ser feita com o uso de fresa, o que pode reduzir o tamanho da partícula.

Posteriormente, a silagem será colocada no vagão misturador que, dependendo do modelo, também pode reduzir o tamanho das partículas. Somado a interação com estes equipamentos, nós temos que avaliar quais serão os demais ingredientes da dieta que irão interagir com a silagem de milho, principalmente os fornecedores de energia.

Por exemplo, a troca de milho seco moído por silagem de grãos irá afetar o sítio de digestão de amido na vaca (deslocando mais amido digerido para o rúmen), o que aumenta o risco de distúrbios metabólicos, como acidose.

Portanto, a decisão pelo ideal tamanho de partícula passa por uma avaliação bem mais criteriosa do que muitos imaginam. Uma vez que os aspectos acima foram avaliados, a ferramenta que nós temos para direcionar o tamanho de partículas é o uso das peneiras, sistema criado pela Universidade da Pennsylvania em 1996. Atualmente, o conjunto é composto pelas peneiras com crivo de 19, 8 e 4 mm e o fundo.

De forma geral, o objetivo é maximizar a retenção na peneira de 8 mm (65-75%) e, o restante (35-25%), distribuídos nas demais peneiras. Caso a colheita seja feita por uma colhedora autopropelida, há a possibilidade de mover parte da quantidade (15%) que ficaria na peneira de 8 mm para a de 19 mm, porém as partículas necessitam ser uniformes, conforme exemplificado na Figura 1.

Partículas desuniformes e longas na peneira de 19 mm causam seleção, o que afeta negativamente o desempenho (Figura 2).

Fonte: MilkPoint

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com