Quanto está valendo a arroba, R$ 180 ou R$ 216?

Quanto está valendo a arroba, R$ 180 ou R$ 216?

PARTILHAR
Confinamento e Boitel VFL BRASIL. Foto: Marcella Pereira

Ontem (17), o indicador Cepea/Esalq fechou cotado em R$ 216,45/@ – com ajuste negativo de 1,99% na comparação diária, com máxima e mínima registradas em R$ 196,88 e 229,74/@, respectivamente. 

Na Bolsa Brasileira (B3), os principais contratos negociados para o boi gordo finalizaram a quarta-feira (18) do em campo misto. O vencimento Dezembro/19 terminou o dia cotado a R$ 210,45/@, com um avanço de 0,21%. O Janeiro/20 registrou uma desvalorização de 0,17% e está precificado a R$ 203,65/@, enquanto, o Fevereiro/20 encerrou o dia estável e negociado a R$ 202,00/@.

Na última terça-feira, o contrato mais líquido na Bolsa Brasileira foi o vencimento em dezembro, com fechamento em R$ 210,80/@, alta de R$ 2,80/@ ante a véspera. O contrato para janeiro, avançou R$ 1,85/@, fechando em R$ 204,35/@.  

Ontem (17), o indicador Cepea/Esalq fechou cotado em R$ 216,45/@ – com ajuste negativo de 1,99% na comparação diária, com máxima e mínima registradas em R$ 196,88 e 229,74/@, respectivamente. 

Segundo o Pesquisador do Cepea, Thiago Bernardino de Carvalho, é normal o mercado ter ajustes de preços após valorizações expressivas nos últimos meses. “Os preços têm registrados solavancos que assustam as pessoas, mas é algo normal. O mercado mudou muito em um mês e meio, na qual está buscando um equilíbrio”, comentou em entrevista ao Notícias Agrícolas.  

De acordo com as informações da Radar Investimentos, a ausência de negócios no mercado físico em SP levou as programações de abate para níveis críticos, em média, em 2,65 x dias úteis. “É possível que esta dinâmica persista com menos pecuaristas ativos nos próximos dias”, informou.  

Os participantes do aplicativo AgroBrazil  informaram negócios na região de Sandovalina/SP ao redor de R$ 185,00/@, à vista e com data para o abate em 03 de janeiro. Na município de Presidente Bernardes/SP, o valor negociado para o boi gordo foi de R$ 203,00/@, à vista e data para o abate em 27 de dezembro. 

O mercado físico do boi gordo teve preços de estáveis a mais baixos nesta quarta-feira. “O ritmo de negócios foi fraco no decorrer do dia, com frigoríficos atuando de maneira retraída na compra de boi”, comenta o analista de Safras & Mercado, Allan Maia. 

Preços da Arroba:

  • São Paulo: preços a R$ 200 a arroba;
  • Minas Gerais: preços de R$ 191 a arroba, inalterado;
  • Mato Grosso do Sul: preços em R$ 188 a arroba;
  • Goiás: o preço caiu de R$ 190 a arroba;
  • Mato Grosso: o preço ficou em R$ 182 a arroba.

Segundo a Scot Consultoria: Pressão de baixa perdendo força no mercado do boi

Aos poucos, as ofertas de compra estão melhorando. A quantidade de boiadas, que já não estava abundante, está diminuindo. Reflexo do período do ano e do mês, quando normalmente os pecuaristas saem dos negócios devido ao final do ano. 

Em São Paulo, parte das indústrias estão com as escalas dos próximos doze dias prontas, com isso, essas empresas têm ofertado preços até R$10,00/@ abaixo da referência, porém, nesses casos o volume de negócios é pequeno.

Atacado

No atacado, os preços da carne bovina caíram. “Prossegue o movimento de correção. “A reposição entre atacado e varejo continua perdendo força, o que sugere que as redes varejistas já estão com estoques posicionados para a demanda das festividades. A expectativa é que a movimentação no varejo ganhe intensidade nos próximos dias, com a entrada do décimo terceiro e bonificações na economia” disse Maia.

O corte traseiro teve preço de R$ 15,80 por quilo, ante R$ 16,00 por quilo na terça-feira. A ponta de agulha caiu de R$ 11,20 por quilo para R$ 11,10 por quilo, enquanto o corte dianteiro diminui de R$ 11,20 por quilo para R$ 11,10 por quilo.

Compre Rural com informações da Scot Consultoria, Canal Rural e Notícias Agrícolas

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com