Raça já soma mais de 600.000 animais no país, confira!

PARTILHAR
Lenda: Dash For Cash

O nome veio da distância em que os animais se destacavam nas corridas de velocidade: 402 metros, o equivalente a 1/4 de milha. Conheça a raça Quarto de Milha!

No país já são mais de 600 mil animais da raça, com quase 110 mil proprietários. Você já reparou nos cavalos que os cowboys americanos montam? Em toda a sua agilidade e rapidez? E nos cavalos participantes de desfiles e de vaquejadas? Pois é, essa raça vem ganhando grande destaque dentro da equideocultura brasileira, conheça o Quarto de Milha!

Com características diferenciadas e, claro, particulares, esses equinos apresentam um grande mercado e uma paixão. Por isso, iremos aprofundar sobre a origem e as características do cavalo Quarto de Milha.

Já pensou em chamar a família toda para participar de uma competição de cavalo? A raça Quarto de Milha permite isso. Segundo a Associação Brasileira do Cavalo Quarto de Milha (ABQM), a raça é importante não só pelo fator econômico, mas também por reunir toda a família brasileira.

História do Cavalo Quarto de Milha

Os cavalos Quarto de Milha surgiram nos Estados Unidos em 1600, sendo a primeira raça a ser desenvolvida na América. Originários de raças da Arábia e Turquia, os Quarto de Milha resultaram do cruzamento entre garanhões dessas raças com éguas da Inglaterra. Gerando assim, cavalos compactos, com músculos fortes, versáteis e com o poder de correr distâncias curtas com mais velocidade do que qualquer outra raça.

A raça chegou ao Brasil em meados de 1955, quando a Swift-King Ranch (SKR) importou seis cavalos dos EUA para o país, vindos da matriz norte-americana, a famosa King Ranch, no Texas, a maior fazenda dos Estados Unidos. 

Conforme vários banqueiros, empresários e pecuaristas conheciam os cavalos Quarto de Milhas, a SKR sofria pressão para vender alguns exemplares. Então, a companhia atendeu a poucos criadores e vendeu um número reduzido de potros.  

No Brasil, a raça é muito utilizada em vaquejadas, no nordeste, e trabalhos de campo, no sul do país, concorrendo com o cavalo crioulo. 

Na cultura popular

O mais famoso Quarto de Milha de corrida tanto nas pistas como nas atividades reprodutivas foi Dash for Cash que vem aos poucos sendo superado pela “lenda viva” como é chamado, Corona Cartel.

Dash for Cash

Características principais dos cavalos Quarto de Milha

Possuidores de uma altura média de 1,52 metros, uma cabeça pequena e um corpo forte, os Quarto de Milha possuem como principal característica a versatilidade, podendo executar funções atléticas nas mais variadas modalidades. Eles ostentam, assim, características praticamente exclusivas dentre os demais equinos. Conheça mais sobre cada uma delas abaixo.

Potência

A raça possui músculos traseiros fortemente desenvolvidos, garantindo explosivas arrancadas. Os cavalos da raça Quarto de Milha são capazes de atingir velocidades que chegam a mais de 88 km/h, sendo considerada a raça mais rápida do mundo. O recorde atual é de 20 segundos percorrendo a distância de 402 metros (¼ de milha).

Docilidade

São cavalos extremamente inteligentes e de doma fácil. Por possuírem personalidade dócil, o cavalo Quarto de Milha é muito utilizado em desfiles e paradas militares.

Utilização

Muito utilizado no campo, se destaca pela capacidade de parar abruptamente, o que facilita a lida com gado. Simultaneamente, a habilidade de movimentos, paradas e girar em torno de si mesmo, faz com que ele seja brilhante nas provas de hipismo rural, vaquejada, tambor e baliza, team penning, laço, entre outras.

garanhao quarto de milha LAREDO BLUE 3
Foto: Divulgação

Aparência do cavalo Quarto de Milha

A pelagem mais comum da raça Quarto de Milha é a de Alazões, caracterizada pela tonalidade avermelhada em todo os seus membros, crina e cauda. O cruzamento entre animais alazões, obrigatoriamente gera produtos alazões. As demais pelagens são: 

  • Alazão tostado (semelhante à borra de café);
  • Baio (tonalidade amarelada ou dourada, e possuir a crina, cauda e membros preto);
  • Baio amarilho (tonalidade amarelo-dourado no corpo e membros e a crina e cauda um tom mais claro, podendo chegar ao branco);
  • Castanho (avermelhada no corpo e membros, crina e cauda pretas);
  • Cremelo (pode ser branco ou creme bem claro, crina e cauda brancas, pele cor-de-rosa ou rosada por todo o corpo e olhos azuis);
  • Lobuno (pelagem acinzentada ou esfumaçada);
  • Perlino (pelagem creme bem clara ou branca, pele rosa ou roseada, crina, cauda e extremidades normalmente tem uma tonalidade mais escura cobre ou laranja e olhos azuis);
  • Preto (pelo do corpo, crina, cauda e membros apresentam a mesma tonalidade);
  • Rosilho (pelagem básica castanha ou alazã, com grande infiltração de pelos brancos pelo corpo, com incidência maior nos flancos e virilhas);
  • Tordilho (Caracteriza-se pela infiltração progressiva de pelos brancos no animal. Para um animal ser tordilho, obrigatoriamente um de seus genitores também deve ser tordilho);
  • Zaino (pelagem em que pelos pretos e castanhos se entremeiam, dando uma tonalidade geral escura, com regiões como bochechas, axilas, flancos e virilhas com tonalidade amareladas, mais claras que as demais partes do corpo).

Padrão Racial

Em seu padrão racial é permitido possuir pelos brancos em determinadas áreas, contanto que:

  • Corpo: não ultrapassem 10cm² do corpo; 
  • Membros anteriores: os calçamentos não podem ultrapassar a linha média imaginária traçada no joelho; 
  • Membros posteriores: os calçamentos não podem ultrapassar a linha traçada na altura da ponta do jarrete;
  • Cabeça (parte superior): limite estabelecido por linhas traçadas do meio da inserção da orelha até o canto da boca;
  • Cabeça (parte inferior): limite estabelecido na linha do músculo masseter (linha do cabresto).

Passado disso, já é considerado descaracterização da raça.

Criador exemplo

Em uma fazenda Porto Feliz, os cavalos quarto de milha são o grande destaque. Este é um entre tantos haras que se dedicam a essa raça, que surgiu no século 17, nos Estados Unidos.

O criador Guilherme Soares cuida de quase 100 animais na propriedade. Além de competidor, veterinário e gerente da fazenda, ele é um fã incondicional da raça. “O quarto de milha significa a mina vida, o ar que eu respiro, a paixão do meu trabalho e do meu lazer.” Uma égua de 16 anos está entre as principais reprodutoras do haras. Ela tem características que representam tão bem a raça que está avaliada em R$ 1 milhão.

Sobre a ABQM (Associação Brasileira de Criadores de Cavalo Quarto de Milha) 

A Associação foi fundada em 15 de agosto de 1969, no Parque da Água Branca em São Paulo, onde ainda permanece, com o objetivo de oferecer estrutura para os interessados em investir na criação de animais da linhagem Quarto de Milha.

A entidade oferece estímulo para a criação de cavalos dessa raça em todo o território nacional, por meio da promoção de eventos e apoio a associações afiliadas cujo objetivo seja a preservação da mesma. 

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com