Reposição “cara” limita a atuação de pecuaristas da engorda

Reposição “cara” limita a atuação de pecuaristas da engorda

PARTILHAR
gado-da-fazenda-santa-nice-bezerro-nelore
Foto: Fazenda Santa Nice

Eles se deparam com a relação de troca pouco favorável e custos altos com a ração animal; Além da disparada nos preços da reposição pelo Brasil!

Nesta semana, o mercado de reposição apresentou morosidade de negócios entre as principais praças pecuárias do Brasil, relata a IHS Markit, refletindo os preços recordes dos animais jovens.

Os seguidos movimentos de altas acumuladas na arroba do gado magro ao longo deste ano têm limitado a atuação dos pecuaristas de recria e engorda que, mesmo recebendo preços mais altos pela arroba do boi gordo, ainda se deparam com a relação de troca pouco favorável”, destaca a consultoria.

Outro fator limitante para o avanço da liquidez nos leilões de animais jovens é o encarecimento dos custos com a ração animal, que também prejudica a lucratividade da atividade e as escolhas dos pecuaristas, acrescenta a IHS Markit.

Neste contexto, a retração na procura pela reposição gerou espaço para ajustes negativos nos preços do gado magro entre algumas regiões pecuárias ao longo desta semana, principalmente na cotação de categorias mais jovens.

Segundo apurou a IHS Markit, na região Noroeste de São Paulo, o bezerro macho de 7-12 meses era negociado na última quinta-feira a R$ 2.300/cab., ante o preço de R$ 2.400/cab. registrado na quinta-feira anterior. Nesta mesma base de comparação, o valor da bezerra em São Paulo caiu de R$ 2.050/cab. para R$ 2.000/cab.

Conforme dados informados no aplicativo da Agrobrazil, pecuarista de Taubaté/SP, negociou os animais a R$ 2400 por cabeça, para animais de 200 kg e com alto padrão genético, sendo o pagamento à vista!

No entanto, de acordo com análise da consultoria, mesmo diante das correções negativas registradas nos últimos dias, os preços pagos pela arroba na reposição seguem em níveis recordes e deve, ao menos no curto e médio prazos, manter os patamares altos, uma vez que a baixa disponibilidade de bezerros e bezerras limita o espaço para quedas mais severas nas cotações.

Segundo a IHS Markit, o setor de bovinocultura de corte vive um momento de oferta restrita de animais, reflexo do aumento do abate de fêmeas nos últimos anos, que diminuiu o contingente do rebanho brasileiro.

“Com a manutenção do abate de novilhas em função dos elevados preços dessa categoria, a disponibilidade de gado jovem deve se manter ajustada no curto prazo”, prevê a consultoria.

Compre Rural com informações do IHS Markit, Portal DBO e Agrobrazil

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com