TOP 15 dicas práticas para selecionar novilhas produtivas

PARTILHAR
Foto: Faz. Elge

Mercado da cria atingiu novos patamares recordes de preços e, com isso, a necessidade de uma boa matriz também é fundamental para resultado lucrativo!

A seleção de fêmeas de reposição é importante para a sustentabilidade e produtividade a longo prazo de seu rebanho de vacas. O tipo errado de fêmea não vai gerar tanto fluxo de caixa e pode custar mais do que você pode pagar em insumos adicionais.

Uma parte importante na separação do tipo errado do tipo certo é como as novilhas são manejadas desde o desmame até a reprodução. Quando feito corretamente, pode fazer parte do processo de seleção, para garantir que você termine com novilhas que podem fazer o melhor trabalho.

Novilhas desmamadas não geram renda por dois anos. Em vez de colocá-las em um ambiente artificial de alto consumo e transportar ração cara para elas, alguns produtores acham que devem ser tratadas como as vacas que se tornarão.

Isso significa que, na maioria das operações de pecuária, elas devem sair em busca de alimentos com o mínimo de insumos de sua parte. Se uma novilha não puder fazer isso, provavelmente não será uma vaca eficiente e lucrativa.

Uma solução para encontrar o tipo certo é reter quase todos os bezerros, e expô-las a um touro por um curto período; um ou dois ciclos no máximo. Isso permite que os touros e o ambiente da fazenda selecionem seus melhores substitutos, o que significa que apenas as novilhas mais eficientes e de maturação precoce se tornam vacas. Se você verificar com antecedência, as que não emprenharam podem ser vendidas no auge do mercado.

Considerações de seleção

Embora seu ambiente faça o melhor trabalho ao selecionar novilhas por função, eficiência e fertilidade, há algumas outras coisas a se considerar também. Aqui estão alguns truques comprovados que funcionaram para os fazendeiros enquanto selecionam substitutos:

novilhas-prenhez-com-iatf
Foto: Fazenda Santa Nice – Nelore PO

1) Se você fizer seleções no desmame, em vez de manter mais novilhas do que o necessário e deixar a natureza separá-las, primeiro separe os animais com características indesejáveis – muito grandes, muito pequenos, muito altos.

2) Novilhas com tamanho e constituição “médios” geralmente acabam sendo as melhores e mais férteis vacas. Muitos produtores cometem o erro de manter as novilhas maiores e acabam com vacas muito grandes.

3) Escolha as novilhas mais velhas, não as maiores. As nascidos no início do período de parto tinham mães férteis. A escolha de novilhas nascidas do primeiro ou segundo ciclo dá mais ênfase à fertilidade e mantém o intervalo entre partos reduzido. Novilhas mais novas nascidas mais tarde na estação de parto têm menos tempo para amadurecer o suficiente para ter um ciclo ou dois antes do período de reprodução.

4) Avalie a disposição e elimine qualquer animal que seja volúvel ou nervoso. Alguns desses animais mais nervosos são óbvios, mas uma maneira de verificar é separá-los silenciosamente. Traga cada novilha para a outra extremidade sozinha para ver como ela reage ao ser manipulada por si mesma. Se você empurrá-la, quase qualquer novilha tentará fugir, mas quando você recua, é fácil ver se ela se acalma ou permanece selvagem e assustada.

5) Avalie a estrutura e conformação geral dos pés e das pernas. Quaisquer problemas que você possa ver em um desmame provavelmente irão piorar com a maturidade. Escolha novilhas que pareçam femininas em vez de maciças, grossas e masculinas. Você não quer uma novilha que se pareça com um novilho; seu equilíbrio endócrino pode estar desequilibrado e há mais chance de ela não emprenhar.

6) Você também não quer uma novilha de pescoço extremamente longo ou muito curto, o que a faz parecer um macho. Muitas pessoas escolhem suas novilhas maiores e mais musculosas, mas isso leva a bovinos de estrutura maior que não são tão férteis.

7) Você quer gado de carne fácil, mas isso é mais difícil de avaliar no desmame porque uma novilha gorda pode ter uma mãe que amamenta muito bem. A mãe pode ser magra.

8) É mais fácil avaliar a capacidade de produção de carne de uma novilha após seu primeiro inverno, antes de sua primeira estação de monta. Uma novilha entrando na estação de monta sem gordura suficiente não se reproduz e provavelmente não vai durar em um ambiente difícil. Ela vai desmoronar quando estiver amamentando e criando um bezerro.

Foto: Fazenda Periquitos

9) Avalie a mãe. Seus pés e úbere estão saudáveis? A mãe tem bom temperamento? Você tem registros de produção e pesos dos bezerros? Ela teve um bezerro todo ano? Você não sabe como será uma novilha de um primeiro bezerro, mas você tem uma ideia sobre os bezerros de uma vaca de 10 anos que sempre foi fértil e tem bons bezerros.

10) A estrutura do úbere é difícil de julgar em recém-nascidos ou com um ano, mas você encontrará animais que são obviamente indesejáveis, como novilhas com tetos que serão muito longos ou gordas.

11) Há muitas coisas que você não pode dizer sobre o potencial da novilha sem avaliar sua mãe. Escolha filhas de vacas que produziram por vários anos e não perderam um bezerro – parindo cedo a cada ano.

12) Alguns produtores apalpam e medem a largura pélvica em novilhas, uma vez que algumas fêmeas não têm um canal de parto muito largo. Selecionar novilhas com tamanho pélvico adequado evita problemas de parto e você também pode detectar algo anormal como um esporão ósseo. Muitas vezes você pode dizer se as novilhas têm largura adequada através apenas olhando para elas, mas medi-las depois de atingirem a puberdade pode ser útil.

13) Também deve haver inclinação adequada dos ganchos aos pinos. Este é um dos fatores mais importantes para facilidade de parto, mas muitas vezes esquecido pelos criadores de gado. Todos os ungulados selvagens (alces, veados, alces, bisões, etc.) têm uma extremidade traseira inclinada. O gado nivelado desde os ganchos até os pinos apresenta uma grave falha causada pelo homem.

14) Muitos produtores também tendem a escolher bovinos retos nas patas traseiras, mas isso não é natural. Todos os animais selvagens têm jarretes de vaca e têm algum ângulo em relação à articulação do jarrete quando vistos de lado, que é uma estrutura mais forte do que as pernas traseiras retas ou post-legged Precisamos copiar a Mãe Natureza. Uma perna traseira reta muda o ângulo da perna, girando o pino. Quando os ganchos e pinos estão nivelados, as patas traseiras são retas – construção que muitas vezes não se sustenta – e muda o ângulo da pelve. Isso torna mais difícil para o bezerro passar por ele em um arco natural. Os pés do bezerro tendem a ficar presos na coluna e na cabeça do rabo.

15) A falta de inclinação e o canal de parto menor também tornam a drenagem do trato reprodutivo mais difícil. A cabeça da cauda curta também move o ânus para a frente, com a vulva inclinada para a frente. Com isso, o material fecal cai na vagina. Se houver inclinação adequada, o canal do parto é mais aberto e tem mais espaço.

Fonte: BEEE Magazine, traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com