Vídeo mostra animal com hermafroditismo, confira

PARTILHAR

Vídeo com milhões de visualizações chama atenção pelo tamanho do animal que, ao parecer uma simples novilha, também é um macho adulto!

Um caso de hermafroditismo verdadeiro em um bovino de parto não gemelar, chamou a atenção nas redes sociais e já acumula milhões de visualizações levantou muita curiosidade, com isso, trouxemos abaixo maiores explicações sobre o tema.

O termo Intersexualidade inclui as anomalias congênitas do sistema genital em que o paciente apresenta características sexuais ambíguas simultaneamente. São caracterizadas na forma de hermafroditismo verdadeiro, pseudo-hermafroditismo (feminino ou masculino) e o freemartinismo, sendo este o mais recorrente em bovinos.

O tema ganhou a mídia após um vídeo, que já possui inúmeras visualizações, postado pelo Médico Veterinário Buzette Junior em suas redes sociais. No´ vídeo, que pode ser visto abaixo, ele apresenta um caso clínico clássico de um Hermafrodismo masculino em novilha. Lembrando, mais uma vez que a intersexualidade ocorre quando um animal apresenta características masculinas e femininas simultaneamente.

Segundo alguns veterinários, o caso não é comum, mas pode ocorrer em alguns animais de produção, não apenas em bovinos. Uma das causas mais relatadas podem ser a própria consanguinidade no rebanho, essa que é responsável pela maior parte das anomalias em fetos.

A similaridade entre as formas da anomalia, requerem atenção para o correto diagnóstico da anormalidade e escolha de tratamento. Destacamos a importância de serem as alterações evidenciadas no exame clínico físico e no exame complementar ultrassonográfico.

As alterações acontecem durante o desenvolvimento embrionário do aparelho reprodutor e na diferenciação sexual, sendo sua etiologia relacionada a fatores genéticos e ambientais. São diagnosticadas pelos sinais clínicos, exames complementares e avaliações cromossômicas.

Destacamos a importância de serem as alterações evidenciadas no exame clínico físico e no exame complementar ultrassonográfico.

Veja o caso de hermafroditismo

Explicação científica para o hermafroditismo

O sexo cromossômico é determinado no momento da fertilização, quando o oócito X é fertilizado por um espermatozoide que carrega o cromossomo X ou Y (Zenteno-Ruiz et al., 2001). Em seguida, é determinado o sexo gonadal, no qual o gene SRY, localizado no cromossomo Y, é responsável pela diferenciação da gônada masculina.

Se o indivíduo é do sexo genético XX e não possui o gene SRY, a gônada se diferencia em ovário. O sexo fenotípico se desenvolve de forma ativa no macho, estimulado pela testosterona produzida pelas gônadas diferenciadas (Nascimento e Santos, 2003). Se os hormônios masculinos estão ausentes, ou se os tecidos não respondem a eles, a tendência passiva é de diferenciação em genitália externa feminina.

A disposição natural é que qualquer feto desenvolva uma genitália externa e conformação corporal feminina na ausência dos efeitos masculinizantes dos andrógenos (Howden, 2004).

A intersexualidade, no entanto, é considerada uma alteração no desenvolvimento orgânico do animal, que se contrapõe às características determinadas pelo sexo genético (cromossômico), levando o mesmo indivíduo a apresentar características marcantes dos dois sexos (Grunert et al., 2005).

iatf inseminando vaca no brete curral
Protocolos de IATF / Foto: Alvaro Fortunato

Por outro lado, outras alterações do desenvolvimento do aparelho reprodutor ocorrem durante a vida embrionária e podem ser decorrentes de malformações das estruturas primitivas do aparelho reprodutor, as quais se desenvolvem ou sofrem regressão.

Propriedade rural registra nascimento de bezerro hermafrodita

Um bezerro nasceu com características hermafroditas no município de Medeiros Neto. A anomalia genética impressionou os moradores.

“Dama Rica”, como foi chamado, nasceu pesando 40 quilos, por meio de monta natural. Logo foi notado que o bezerro possuía pênis e testículos, mas também vagina e tetas. Além disso, atrésia do ânus, fístula e reto prepucial – ocasionando saída de fezes e urina pelo óstio prepucial (bainha do pênis), mesmo tendo uma gestação considerada normal.

Antônio Sinfrônio mora na localidade há 75 anos. Sua família relata que nunca viu tal acontecimento por toda região.

O animal foi examinado pelo médico veterinário dr. Armando Leal do Norte. Segundo ele, a razão do hermafroditismo se dá a partir de má formação genética. Ele está acompanhando a evolução dos primeiros dias de vida do animal. Havendo necessidade em caso de dificuldades em defecar, uma cirurgia poderá ser feita para que haja uma desobstrução do reto do bezerro.

Dr. Armando disse ainda que está otimista com a sobrevivência do animal. Em muitos casos, lesões e outros empecilhos impedem a vida.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com