Você sabia que as vacas produzem anticorpos contra o HIV?

PARTILHAR
Foto: Divulgação

O organismo do bovino é capaz de criar anticorpos amplamente neutralizantes contra o HIV rapidamente, dias após contato com antígenos do HIV.

A pesquisa foi feita pelos Institutos Nacionais de Saúde dos EUA, quatro vacas injetadas com um tipo de proteína do HIV rapidamente produziram anticorpos poderosos contra o vírus. Aprender como induzir anticorpos semelhantes em humanos pode ser a chave para o sucesso de uma vacina contra o HIV.

Os anticorpos, chamados de de “bNAbs”, do inglês broadly neutralizing antibodies . Em laboratório, esse tipo específico demonstrou capacidade de impedir que a maioria das cepas de HIV infectem células humanas, e de proteger modelos animais da infecção.

Cerca de 10 á 20% das pessoas infectadas pelo HIV eventualmente geram anticorpos amplamente neutralizantes que são especialmente potentes e eficazes contra muitos tipos de HIV. O desenvolvimento desses anticorpos não parece ajudar as pessoas infectadas. Mas quando administrado a macacos antes da exposição a um vírus semelhante ao HIV, os anticorpos previnem a infecção.

Naturalmente, bois e vacas são incapazes de adquirir o vírus HIV, por isso, os pesquisadores injetaram antígenos do HIV em quatro bezerros e esperaram pela resposta do sistema imunológico. Todos desenvolveram bNAbs contra o HIV no sangue, em períodos que variaram entre 35 e 50 dias, após duas injeções.

Apesar de os bNAbs bovinos não serem indicados para uso clínico em humanos na forma atual, explorar essa rápida produção pode ajudar os cientistas no desenvolvimento de novas técnicas.

“Desde os primeiros dias da epidemia, nós reconhecemos que o HIV é muito bom em enganar a imunidade, então, sistemas imunológicos excepcionais, que produzem naturalmente anticorpos amplamente neutralizantes para o HIV são de grande interesse, sejam eles de humanos ou de gado”, explica o diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas, dos Institutos Nacionais de Saúde dos EUA, Anthony S. Fauci.

Um dos anticorpos se mostrou particularmente potente, por se ligar a uma região do HIV usada para conexão e infecção das células de defesa do organismo. Batizado como NC-Cow 1, ele neutralizou cerca de dois terços das cepas do vírus testadas.

“As repostas potentes nesse estudo são marcantes porque o gado parece produzir bNAbs em pouco tempo. E diferente dos anticorpos humanos, os anticorpos do gado são mais propensos a ter características únicas que lhes dão vantagens sobre antígenos do HIV”, reforça o pesquisador do The Scripps Research Institute e coautor do estudo, Dennis Burton.

Ainda não se sabe por que esses poderosos anticorpos se desenvolveram nas vacas. Uma teoria sugere que a característica esteja relacionada com o sistema digestivo ruminante. “O HIV é um vírus humano, mas os pesquisadores certamente podem aprender de respostas imunológicas em outros animais”, completa o coautor da descoberta, Devin Sok.

Além de utilizar esses bNAns para ajudar o sistema imunilógico humano a produzir anticorpos, outra aplicação prática da descoberta é seu uso em ferramentas de prevenção, como cremes vaginais que evitem a infecção por HIV.

Fonte: Feed & Food

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR