CLASSIFICADOS
Página Inicial » Artigos » De 2 a 5mil ovos liberados no ambiente, veja os 10 passos para reduzir os prejuízos com carrapatos
Curso de gestão de pastagens, planejamento e manejo da teoria à prática, aprenda o método PDCA
infestação-de-carrapatos

De 2 a 5mil ovos liberados no ambiente, veja os 10 passos para reduzir os prejuízos com carrapatos

O maior problema de não controlar o parasita de forma correta e eficiente, é a disseminação da resistência das populações de carrapatos aos produtos utilizados no seu controle, levando ao aumento dos prejuízos econômicos.

carrapatos em vacaOs carrapatos podem parasitar os mais diversos tipos de animais silvestres e domésticos. Aves, répteis, cães, cavalos, bovinos, equinos, coelhos, ratos e até sapos. Raramente são encontrados em gatos, os bichanos sofrem mais com as pulgas.

Existem carrapatos machos e carrapatos fêmeas, geralmente diferenciados pelo tamanho. Os machos raramente se alimentam de sangue.  Já a fêmea adulta, após se alimentar de sangue assume o aspecto de um grão de feijão grande, ou grão de mamona.

carrapato_com_ovosNesta fase da vida, após ter se alimentado bastante e estar bem ingurgitada (inchada e cheia de sangue e ovos) ela se desprende do animal por vontade própria, cai no solo e libera de 2.000 a 5.000 ovos no ambiente. Então, meus caros, é ai que começa o pesadelo!!! A época do ano mais propícia para os carrapatos é desde o início da primavera até o início do outono.

Os prejuízos causados pelo carrapato aos bovinos ocorre de várias maneiras.

Geralmente é causado pelas teleóginas (fêmeas fecundadas, ver figura 1), que se alimentam de sangue, já que larvas, ninfas e machos são pequenos e, apesar de também se alimentarem de sangue, alimentam-se principalmente de linfa e substratos da pele, causando irritação cutânea e danos permanentes ao couro. Segundo relatos do setor coureiro, caso haja um controle eficiente do carrapato, 40% dos 80% de couros classificados como de sexta e sétima categorias retornariam à quinta categoria, agregando-se a este produto valores superiores a 25%. Cada fêmea de carrapato bovino ingere entre 0,5 a 3 ml de sangue.

A única forma de minimizar prejuízos com carrapatos, é fazendo um controle estratégico. Pesquisador da Embrapa lista 10 passos, desde da compra até a aplicação de produtos, para realizar um controle estratégico e eficiente. Abaixo, o pesquisador Renato Andreotti, da Embrapa Gado de Corte, lista como o processo deve ser feito para dar bom resultado:

O  pecuarista deve usar o produto adequado no seu rebanho. E como saber qual escolher? A Embrapa Gado de Corte faz o teste de graça, recebe as amostras, as analisa e orienta o produtor.

 Feito isso, é necessário ter em mente que a melhor época para iniciar o controle do carrapato é no final da seca. A recomendação é dar de 5 a 6 banhos carrapaticidas com intervalos de 21 dias ou usar produtos pour-on e/ou injetáveis.

3º Sempre seguir a bula do produto.

 Deve usar equipamentos de proteção na aplicação e banhar os animais a favor do vento para não correr o risco de se intoxicar.

 Dar banho com o animal contido também evita o desperdício. Sempre no sentido contrário aos pelos, com pressão adequada e em toda a superfície do bovino. Dias de chuva e horários de sol forte são contra-indicados para se fazer a aplicação. Pois em dias de chuva, o produto é lavado do corpo do animal, e no calor,  ocorre maior absorção dos produtos, aumentando o risco de intoxicação.

 Um bom controle depende ainda da redução do número de carrapatos no pasto. Para tanto, Andreotti orienta: o animal deve retornar à mesma pastagem para que os carrapatos que nele subirem morram, e os que sobreviverem serem eliminados no banho seguinte, antes da queda.

 Dar mais atenção aos animais de sangue doce, aqueles mais infestados – responsáveis pela recontaminação das pastagens. Segundo o pesquisador, eles devem ser tratados com maior frequência.

 É necessário também controlar a entrada de animais na propriedade: os recém-adquiridos devem ser tratados no local de origem e isolados por 30 dias em um pasto quarentena.

 Vale ainda evitar infestações mistas. Equinos e bovinos devem ser mantidos em pastos separados para não haver infestação cruzada de espécies diferentes de carrapatos.

10º Por último, o pesquisador recomenda avaliar uma vez por ano o desempenho do produto e escolher aquele cuja eficácia seja superior a 95%.

Segundo Renato Andreotti, a maioria dos produtores faz uso de carrapaticidas quando os animais e as pastagens já estão altamente infestados, o que dificulta o controle.

Fonte portaldbo.com.br

3 comentários

  1. Bom dia, existe um produto que está demonstrando excelentes resultados no controle de carrapato no rebanho, usei aqui e a resposta é espetacular. O produto se chama Koral, fabricado pela Rawell química. Recomendo a todos que estão precisando.

  2. eu passo em meus cães vinagre de maçã derruba carrapatos e pulgas sei que para aplicar em fazendas é muito difícil mas que tal experimentar em duas ao menos

    dando certo haja vinagre

  3. Pedro Gilberto Silva de Morais

    Além desses cuidados a utilização desses métodos a Homeopatia tem se mostrado excelente ferramenta que elimina e muito os carrapatos, vide pesquisas SIGNORETTI, VERÍSSIMO (IZ Nova Odessa-SP), também MORAIS e BENEDETTI (UFU Uberlândia-MG) entre outros pesquisadores.

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicadoEstes campos são obrigatórios *

*

x

Checar também

Foto: Fazenda Bergamini

Vermífugos na hora certa pode gerar ganhos de R$ 40 por cabeça

Um estudo realizado por pesquisadores da Universidade Estadual Paulista Júlio Mesquita (Unesp) levantou um dado ...

bezerros nelore

Fazenda no Mato Grosso faz a desmama aos 100 dias de idade

O Nortão do MT exibia-se para Pedro e eu, agradecendo a chuva que acabara de ...