Ágio do boi China cai bastante, entenda os motivos

Ágio do boi China cai bastante, entenda os motivos

PARTILHAR
Santa Silvéria venderá 60 touros Bonsmara de dois anos no dia 28 de agosto
Foto: Santa Silvéria

Ágio do boi China cai bastante com maior oferta e pressão sobre preços da carne; país asiático cortou praticamente US$ 1 mil pela tonelada embarcada

Até acentuadamente julho e parte de agosto, ainda era possível encontrar ágio em torno R$ 10 do boi com bônus de exportação sobre o boi comum, de mercado interno. Agora, vai diminuindo, com analistas do mercado já verificando que a diferença caiu para o piso mínimo de R$ 3, com média em R$ 5, para São Paulo.

Até que se chegasse à maior oferta de animais tipificados nas categorias exigidas pelos importadores de valor agregado, por exemplo, como lembram os consultores do Notícias do Front, StoneX e Agrifatto, a pressão sobre os contratos começou a limar o ágio.

A China passou a ensaiar – e consolidou – corte de praticamente US$ 1 mil pela tonelada embarcada, segundo Yago Travagini.

Esse fator é importante, na balança dos frigoríficos, porque faz “pressão sobre a diferença entre custo (originação do boi) e receita final (carne exportada)”, complementa Caio Toledo Godoy, da StoneX. Há 10 dias, ele comentava para Money Times, entre outros, que o spread positivo acima de 9%, em alguns cortes de dianteiros, inverteu-se para 8,34% então.

E veio vindo a maior disponibilidade de matéria-prima melhor terminada, mais jovem, em movimento sazonal do segundo semestre, explica Rodrigo Albuquerque, CEO do Notícias do Front.

Mesmo com um confinamento mais acanhado que em 2019, há um volume maior chegando, daí que os “frigoríficos têm um pouco menos de dificuldade de encontrar bois com esse perfil”.

Da mesma forma que caiu o ágio entre boi Europa e o que fica para mercado interno, acrescenta o consultor em risco pecuário, que destacou os R$ 3 como uma potencialidade já acontecendo.

De todo modo, é preciso destacar alguns informes recentes que demonstram que ainda há a diferença de até R$ 10 rolando no mercado.

O Balizador GPB (Grupo Pecuária Brasil), com data de quinta (24) e quarta (23), registrou negócios com boi inteiro (não castrado) – basicamente enquadrado na bonificação de China e Europa para animais de até 30 meses -, de R$ 253 e R$ 255, contra negócios com boi comum a R$ 245.

Via Money Times

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.