Agrobrazil aponta queda de R$ 11,69/@; Confira a praça!

PARTILHAR
Confinamento e Boitel VFL BRASIL. Foto: Marcella Pereira

Chegada de uma frente fria na próxima semana será mais um fator relevante de pressão de baixa sobre a arroba do boi gordo; Preço da arroba segue sem piso neste momento!

O mercado físico do boi voltou a se deparar com preços mais baixos em algumas regiões produtoras nesta quinta-feira, 12, a depende da praça pecuária avaliada. Indústrias frigoríficas aproveitam o aumento da oferta de animais em regiões onde a seca avança com maior rapidez e, com isso, aproveitam para pressionar as cotações, fechando negociações abaixo da referência.

O ambiente de negócios ainda sugere pela continuidade do movimento de queda, em linha com o avanço do volume de oferta no mercado doméstico. A oferta de boiadas segue em bom nível, algo natural para a época do ano. Pecuaristas, por outro lado, se programam e aproveitam para estruturar suas programações de confinamentos e compra da reposição.

Com escalas de abate programadas para a semana seguinte, os frigoríficos abriram o dia com menor ímpeto comprador. Com isso, a referência para o boi, vaca e novilha permaneceu estável na praça paulista.

Ofertas de compra, com preços abaixo da referência foram relatados, mas com poucos negócios. Assim, a cotação para o boi gordo está em R$312,00/@, para vaca gorda em R$278,00/@ e para novilha gorda em R$307,00/@, preços brutos e a prazo, resumiu a Scot Consultoria.

“Somado ao incremento de oferta de animais terminados, a manutenção do embargo provisório imposto pela China a algumas unidades frigoríficas brasileiras segue produzindo distorções regionais na formação de preço”, assinalou Iglesias, da Agência Safras.

Por fim, a chegada de uma frente fria na próxima semana será mais um fator relevante de pressão de baixa sobre a arroba do boi gordo, uma vez que deve acelerar a deterioração das pastagens, principalmente em Mato Grosso do Sul e resultar em menor capacidade de retenção por parte do pecuarista.

Segundo o App da Agrobrazil, a média do valor da arroba na praça paulista, teve um recuo de R$ 11,69/@, com a média ficando cotada a R$ 309,77/@. Seguindo o movimento de queda, as praças de Goiás e Mato Grosso, estão sendo cotadas a R$ 282,36/@ e 297,40/@, respectivamente. Já a praça de Mato Grosso do Sul, teve uma leve alta na arroba e fechou o dia cotada a R$ 292,67/@.

Com o embargo de grandes indústrias e a dificuldade logística, o bovino jovem que atende ao padrão exportação também recuou. Negociação em Santa Cruz do Rio Pardo, interior paulista, teve valor de R$ 320,00/@ com pagamento em 08 dias e abate para o dia 02 de junho.

O Indicador do Boi Gordo – Cepea/Esalq, teve uma das maiores valorizações das últimas semanas com valor de 4,58% na comparação diária. Sendo assim, os preços se saltaram de R$ 11,15/@ para o patamar de R$ 325,40/@, conforme o gráfico abaixo. Ainda segundo a instituição, o valor da arroba em dólar segue cotada a US$63,23@.

Crescimento no abate de bovinos

O abate de bovinos também cresceu 0,1% em relação ao 4º trimestre de 2021, enquanto o de suínos, na mesma comparação, teve acréscimo de 2%.

No primeiro trimestre deste ano, do total de bovinos abatidos, o resultado preliminar aponta uma produção de 1,82 milhão de toneladas de carcaças, aumento de 5,2% em relação ao mesmo período de 2021, porém redução de 4,5% na comparação com o último trimestre do mesmo ano.

Restrições chinesas

As novas medidas chinesas de restrição ocasionaram sérios problemas logísticos, afetando as operações de embarque e desembarque no porto de Xangai, o maior canal de entrada da carne bovina (entre outras mercadorias) importada pelo país.

“As indústrias brasileiras que operam com maior parte de volume para atender o mercado da China atuam de forma limitada, visando mitigar maiores riscos operacionais”, reforça a IHS Markit.

Paralelamente, com o fim da época das águas e chegada do período mais seco do ano, muitos pecuaristas brasileiros que estavam represado os seus lotes de animais gordos começam a liquidar os estoques, dizem os analistas.

Giro do Boi Gordo

  • Em São Paulo, Capital, a referência para a arroba do boi ficou em R$ 320,00 a arroba.
  • Em Dourados (MS), a arroba foi indicada em R$ 291,00.
  • Em Cuiabá, a arroba ficou em R$ 288,00.
  • Em Uberaba, Minas Gerais, preços a R$ 290,00 por arroba.
  • Em Goiânia, Goiás, a indicação foi de R$ 290,00 para a arroba do boi gordo.

Atacado do boi

No mercado atacadista, o dia foi de preços mais baixos para a carne bovina. Segundo Iglesias, o ambiente de negócios ainda sugere pela continuidade deste movimento no curto prazo, em linha com o consumo mais tímido ao longo da segunda quinzena do mês.

“Além disso, os frigoríficos ainda se deparam com escalas bastante confortáveis, ou seja, isso também pode ser traduzido em aumento do estoque de carne. O padrão de consumo para 2022 ainda remente a uma maior demanda por proteínas mais acessíveis, a exemplo do frango e dos ovos”, disse ele.

O quarto traseiro foi precificado a R$ 23,20 por quilo, queda de R$ 0,60. O quarto dianteiro foi cotado a R$ 16,40 por quilo, queda de R$ 0,25. A ponta de agulha cedeu ao patamar de R$ 16,30 por quilo, queda de R$ 0,20.

Câmbio

O dólar comercial encerrou a sessão em baixa de 0,07%, sendo negociado a R$ 5,1410 para venda e a R$ 5,1390 para compra. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 5,1060 e a máxima de R$ 5,2090.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.