Bezerro engorda o bolso do criador, preço é R$ 1.579,00

Bezerro engorda o bolso do criador, preço é R$ 1.579,00

PARTILHAR
Foto Divulgação.

Bezerro engorda o bolso do criador: preço vai a R$ 9 por quilo. Forte valorização do boi gordo acelera o mercado da reposição e faz cotação acumular alta de 30% no ano!

Os preços dos animais de reposição estão em alta principalmente nos Estados do Centro-Oeste e Sudeste, acompanhando as fortes valorizações do boi gordo nas últimas semanas. Segundo relatos da Informa Economics FNP, com num “efeito dominó”, o mercado de reposição também perdeu complemente a referência de preços, e atualmente há registros de diversas vendas realizadas próximas a R$ 9/kg em algumas praças pecuárias do Brasil Central.

Os elevados índices de chuvas em praticamente todo o território nacional têm colaborado para a recuperação consistente das condições das pastagens, bem no momento em que os pecuaristas buscam planejar os seus rebanhos para abate do próximo ano, acrescenta a consultoria paulista. “A liquidez dos leilões de animais é praticamente absoluta”, destaca a FNP.

A oferta restrita de animais de reposição também explica o aquecimento das cotações. Na avaliação da consultoria, a baixa oferta ocorre não apenas pelo fato de os criadores represarem lotes em função da recuperação da pastagem, mas pela saída de muitos pecuaristas da atividade de cria nos últimos anos, devido ao ciclo de preços baixos.

O Indicador do bezerro ESALQ/BM&FBovespa, Mato Grosso do Sul) fechou essa quinta-feira (29/11) a R$ 1.579,17/cabeça, o que representou elevação de 14,5% sobre o valor de um mês atrás (R$ 1.378,51/cabeça).

Na comparação com o preço nominal registrado no último dia útil de dezembro de 2018, de R$ 1.225,47/cabeça, o Indicador acumula aumento de quase 30% este ano.

Mercado de reposição segue aquecido, diz Scot Consultoria

Considerando a média de todas as categorias de machos e fêmeas anelorado e mestiços, a alta foi de 6,1% frente ao fechamento da semana anterior.

As categorias mais eradas para giro rápido continuam puxando as cotações, com alta de 7,8% em sete dias, considerando a média das categorias de boi magro e garrote anelorados de todos os estados pesquisados.

Já para os animais jovens, a valorização foi de 6,4% (média entre bezerro desmamado e bezerro de ano) no mesmo período, também considerando todos os estados pesquisados. 

Em São Paulo, no acumulado de novembro, a maior alta ficou para a categoria boi magro anelorado, que subiu 11,4% no período.

Destaque maior para de Goiás e Tocantins, com altas de 29,7% e 37,1%, respectivamente, na mesma comparação. 

Para o curto prazo, com o mercado do boi gordo em alta e as chuvas em maiores volumes, é provável que o mercado de reposição ganhe mais força.

 Fonte: Portal DBO/Scot Consultoria

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com