PARTILHAR

Uma bela reflexão do produtor Fabrício Nascimento sobre produzir leite no Brasil; atividade vai muito além da nutrição das vacas e preço pago pela indústria

por Fabrício Nascimento – Você já observou quando conversa com alguém na cidade, ou quando recebe uma visita, que estas pessoas provavelmente sonham em um dia ter o que você tem?

Sim, eu sei que você quer mais, sei também que vai conseguir, mas olhe para 5 anos atrás e veja o quanto já conquistou.

Lembra quando você queria aquela ordenha, aquele resfriador, mas parecia impossível, fora do seu orçamento?

Pois é, você batalhou e olhe agora no seu galpão: seu resfriador e sua ordenha estão lá! Que maravilha né?

Pare uns minutos em meio às suas vacas, sinta a energia que elas vão passar, sinta a pureza que só os animais possuem.

Escute os dentes rangendo enquanto ruminam para produzir leite e encher seu resfriador.

Acompanhar uma vaca em trabalho de parto, comemorar o nascimento de uma bezerra, ver que ali as esperanças se renovam, o milagre da vida vai tendo sequência, o fruto do teu trabalho, teu melhoramento genético está ali – toda molenga por acabar de ter nascido – mas olhando para você e berrando, como que dando boas vindas ao novo mundo dela e agradecendo por nascer na sua fazenda.

Vá até onde estão suas bezerras, veja como elas olham você, curiosas… Observe-as mamando, com uma voracidade incrível e tente ver nelas a futura vaca.

Sinta a lambida carinhosa de uma delas como forma de agradecer a você pelo cuidado. Quando ela crescer, vai te agradecer com leite.

Olhe na cidade as pessoas trabalhando em turnos inversos e sem ter contato com a família, muitas vezes sem ver os filhos crescer, sem saber qual a primeira palavra que a criança falou, sem vê-la dar o primeiro passo sozinha.

Você tem o privilégio do almoço em família, de todas as noite estarem reunidos, de ver seus filhos crescendo, felizes, correndo nos pastos, por vezes no barro, caindo, ralando o joelho e correndo para seus braços, vendo-o como um super herói que vai tirar a dor e a sujeira do seu joelho.

Ver o dia amanhecer, a aurora que se faz linda por de trás de um monte, ou atrás de uma vaca. O sol nascendo, os pássaros cantando, parece que você vê o dia acordar, o ar da madrugada parece mais puro, o som do vento nas folhas das árvores parece ser o único que acordou junto de você.

Nos dias de chuva fica mais complicado, as vezes você se molha, se suja de barro, mas sabe que ao entrar para em seu lar, poderá tomar um banho quente, vestir uma roupa limpa e olhar pela janela a chuva caindo, as vacas correndo nela como crianças e brincando no barro. Sentirá que o seu dever do dia está cumprido e poderá desfrutar do aconchego da sua família, tranquilo.

Saber que você está produzindo um alimento, que uma inocente criancinha vai consumir, vai crescer mais forte, que o idoso vai beber para fortalecer seus ossos, que seu leite estará nas mais diversas receitas, tanto de restaurantes como naquelas feitas para a família.

Seja grato pelas coisas boas, pelo privilégio de ser produtor de leite. Lute, busque, corra atrás do que você quer, sem esquecer de agradecer o que você já tem.

A vida é maravilhosa em seus detalhes, é preciso estar atento a eles para desfrutar de tudo o que nos é oferecido.

Você veio ao mundo para ser feliz e para ajudá-lo a ser melhor. Então, agora que já leu até aqui, repense em tudo na sua propriedade, seja feliz produzindo leite e contagie todos os que convivem com você com esta felicidade.

Fabrício Nascimento, produtor de leite e palestrante – fabriciomachadonascimento@gmail.com

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.