Líder do MST é morto a facadas

Líder do MST é morto a facadas

PARTILHAR
Foto Divulgação. Fonte: Gazeta do Povo

A própria namorada denunciou o desaparecimento da vítima à polícia. Ela confessou o crime e disse que contou com a ajuda do amante dela. Entenda o fato!

Um dos líderes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) na região de União do Sul (719 km ao norte de Cuiabá) foi assassinado a facadas pela companheira em local próximo à MT-423, cerca de 15 quilômetros da zona urbana.

Cleirto Alves Braga, 49, foi dado como desaparecido, mas após as investigações, a mulher acabou confessando e indicando onde estava o corpo.

Segundo a Polícia Militar de União do Sul, Cleirto era procurado pois já estava desaparecido há alguns dias. Em uma das conversas com a suspeita, que não teve o nome revelado, ela acabou confessando o crime, mas não disse a motivação.

Os policiais pressionaram a namorada e ela acabou confessando o crime. Ela afirmou que ela e o amante jogaram o corpo da vítima às margens da MT-423.

Ela levou os policiais até o local onde o corpo havia sido deixado no final da tarde de sexta-feira (13).


Relembre uma das piores atuações do MST:


O corpo estava enrolado em um lençol e amarrado por arames. A namorada confessou que premeditou o assassinato: ela emprestou uma faca do amante, que era vizinho do casal, e os dois foram até o sítio de Mineirinho, onde o mataram.

Leia também:

Os suspeitos não disseram o que motivou o crime. Eles foram encaminhados à delegacia da Polícia Civil.

O caso é investigado pela Delegacia de Cláudia (620 km ao Norte), para onde a suspeita foi levada na madrugada de sábado (13). Em seu depoimento ela voltou a confessar o crime. A companheira de Cleirto deve passar por audiência de custódia ainda no sábado.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com