OIE encerra casos atípicos de de vaca louca no Brasil, veja!

PARTILHAR
Confinamento e Boitel VFL BRASIL. Foto: Marcella Pereira

Segundo as informações divulgadas pelo MAPA, a OIE já deu os casos atípicos de EEB como encerrados! Brasil já marcou reunião com a China para amanhã.

A tendência para o mercado de boi gordo é que os preços se normalizem e o mercado volte a registrar bons fluxos de negócio após o feriado de 7 de setembro, após os efeitos dos casos atípicos de vaca louca que ocorreram no Brasil. A notícia boa é que, segundo o MAPA, a Organização Internacional da Saúde Animal – OIE, deu por encerrado os casos.

Diante disso, o Ministério da Agricultura já marcou uma reunião com a China para o dia de amanhã, 7, visando buscar uma resolução rápida e tranquila para a retomada das exportações. Lembrando que elas foram suspensas ainda neste sábado, conforme manda o protocolo internacional.

Após o Ministério da Agricultura (Mapa) confirmar a ocorrência de dois casos atípicos de Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB) – conhecida como o “mal da vaca louca”, as exportações para China foram fechadas. Entretanto, com o encerramento dos casos, é possível que o país retome ainda nesta semana as atividades.

Lembramos ainda que o mesmo após o fechamento, não houve danos ao mercado, segundo comentou fonte envolvida na atividade. Apesar da participação dominante do Brasil de 40% nas importações de carne bovina pela China, os preços não mudaram até segunda-feira e alguns importadores ainda estavam em busca de negócios.

“Ainda estamos comprando, as fábricas precisam manter seus estoques”, disse Grace Gao, gerente geral da importadora Goldrich International, de Dalian.

A vaca louca “atípica” é considerada de menor risco do que a forma clássica da doença, pois ocorre de forma natural e apenas esporádica em bovinos mais velhos. “Presumo que o governo chinês não banirá as importações”, disse Pan Chenjun, analista sênior do Rabobank. “O Brasil é muito importante.”

A autoridade alfandegária da China não respondeu imediatamente a um pedido de comentário. O Brasil embarcou mais de 500.000 toneladas de carne bovina para a China de janeiro a julho deste ano, ou 38% das importações totais da China, mostram dados da alfândega chinesa, colocando-o bem à frente do fornecedor nº 2, a Argentina, que forneceu pouco menos de 300.000 toneladas.

As ofertas globais de carne bovina estão muito restritas e os preços já estão em níveis recordes, acrescentou outro grande comprador de carne bovina da China.

Conforme o analista, a alta nos preços futuros do boi gordo na B3, nesta segunda-feira, mostra que o mercado reagiu com otimismo em relação ao comunicado feito pelo Brasil sobre casos atípicos da doença. “Há uma expectativa de que os embarques destinados à China possam ser retomados em breve, até pela necessidade de compra do país asiático, o que traria novamente um quadro de normalidade ao mercado”, conclui.

Até a China dar um ok, o mercado fica fechado para o nosso principal exportador. Na saemana passada, foi um caos. Agora a tendência é que as coisas se normalizem e voltem ao normal, com os grandes frigoríficos retomando suas compras e vendas e após o feriado de Sete de setembro”, prevê o analista da Safras&Mercado.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.