Preço do bezerro desce de foguete; Veja o que esperar

PARTILHAR
gado magro reposicao 2
Foto: Zootecnista Luiz Roberto

O cenário, no curto prazo, é de cotações mais frouxas, puxado principalmente pelo maior volume de bezerros desmamados chegando ao mercado.

O mercado seguiu em mais uma semana com o gado para reposição registrando ajustes negativos nos preços, segundo informação das principais consultorias pelo país. Além da menor procura, aumentou a oferta de animais disponíveis para venda, sobretudo bezerrada, relatam os consultores. Sendo assim, o preço do bezerro desce de foguete; Veja o que esperar!

Neste contexto, soma-se o fato de haver também muito descarte de animais em função do período de vacinação contra aftosa e do avanço do clima mais seco do ano, acrescenta a IHS. “Mais uma vez, a fraca liquidez de negócios abriu espaço para pressão baixista”, afirmam os consultores da IHS.

“Com volume de chuvas minguando e as temperaturas já começando a cair, a entressafra aos poucos vai tomando corpo”, afirma a zootecnista Thayná Drugowick, analista da Scot Consultoria.

Em função disso, continua ela, a perda do poder de barganha dos recriadores, somado ao mercado do boi gordo mais frouxo, pressionou as cotações na reposição por mais uma semana. Paralelamente, continua a consultoria, a procura por categorias mais jovens apresenta inconsistência, prejudicada pelas incertezas geradas pelos embargos chineses a unidades frigoríficas brasileiras, além dos elevados custos de engorda nos confinamentos ou boiteis.

Segundo o Indicador do Cepea, os bezerros do sul mato grossense estão sendo negociados a média de R$ 2.704,30, segundo fechamento do dia 13 de maio. Esse movimento representa uma queda acumulada de 0,51% na comparação diária. Além disso, observa-se uma redução nos pesos dos animais.

Ainda segundo a instituição, a maior oferta e baixa procura no mercado paulista trouxe uma queda de R$ 158,37/cab neste mês de maio. Segundo o fechamento do dia 13 de maio, os preços ficaram cotados a R$ 2.968,85/cab. Esse movimento representa uma queda acumulada de 5,54% na comparação mensal.

Na média de preços de todas as categorias de machos, fêmeas nos Estados pesquisados pela Scot Consultoria, o recuo foi de 0,7% no comparativo semanal. Ao longo da última semana, as quedas foram puxadas pelas fêmeas, que recuaram 1,1% na média de todas as categorias e Estados, informa a Scot. Destaque para a bezerra de ano e desmama, com recuo de 1,7% e 1,3%, respectivamente, frente à semana anterior.

Do lado dos machos, na mesma comparação, a queda foi tímida, de apenas 0,3%. Por outro lado, a disparidade entre as cotações do boi gordo e da bezerra tem favorecido a relação de troca para essas categorias, destaca Thayná.

Cotações do mercado do boi gordo seguem pressionadas, com a entressafra de capim marcando o fim do período de águas. Mercado de reposição segue em baixa, com pouco volume de negócios, veja a análise da Scot Consultoria:

Giro da reposição pelas praças pecuárias

Tomando como base as praças de Tocantins, na região Norte, de janeiro a maio (dados parciais), considerando a média de todas as categorias de machos no estado, as cotações caíram 12,1%, aponta a Scot. Por sua vez, o valor do boi gordo recuou 5% na mesma base de comparação.

Segundo a IHS Markit, na região Centro-Oeste, as quedas nos preços da reposição durante a semana foram quase que generalizadas entre as principais praças pecuárias. A baixa procura pelos recriadores ou invernistas fez com que os preços recuassem em relação a semana passada, afirma a consultoria.

No Sudeste, os preços também se mostraram mais fracos, sobretudo no interior paulista e na praça de Minas Gerais. Em ambos os Estados, a seca prolongada vem desestimulando a procura por boiada magra, abrindo espaço para quedas, justifica a IHS. Na região Norte, a liquidez avança de forma cadenciada.

capa-mercado-de-reposição1
Foto Divulgação.

Na praças de Tocantins, informa a IHS, algumas fazendas que fazem ILP (integração lavoura-pecuária) chegaram a participar mais ativamente das compras de animais de reposição, mas buscaram barganhar preços e prazos maiores para pagamento, relata a IHS.

“Em função disso, o poder de compra do recriador/ invernista presente em Tocantins melhorou 8,2% no período”, relata a analista da Scot.

Nas praças do Pará e Rondônia, os agentes locais relataram que a intenção de confinar animais está aquém do ano passado, mesmo diante das sucessivas quedas nos preços da reposição. Na região Sul, os preços dos animais de reposição voltaram a ceder no Paraná, em função da fraca procura, informa a IHS.

Para o curto prazo, o cenário no mercado de reposição é de cotações mais frouxas, puxado principalmente pelo maior volume de bezerros desmamados chegando ao mercado nas próximas semanas, prevê a Scot Consultoria.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com