Saca da soja brasileira vai a R$ 116

Saca da soja brasileira vai a R$ 116

PARTILHAR
SLC_SEMENTES_COLHEITA_SOJA_2019_083
Foto: Divulgação

Enquanto nos Estados Unidos as vendas externas ainda derrapam, soja brasileira é comercializada por R$ R$ 116,00/saca

Nesta sexta-feira (15), as cotações da soja testam ligeiras altas na Bolsa de Chicago, recuperando partes das baixas de ontem. A oleaginosa subia entre 2,25 e 3,25 pontos nos principais vencimentos, com o julho valendo US$ 8,39 e o agosto, US$ 8,42 por bushel. O dólar deu uma leve trégua no fechamento das cotações de ontem, ainda assim, a soja brasileira encontrou espaço para se valorizar, enquanto que nos EUA as exportações seguem a níveis historicamente baixos.

Foto: Renata Silva

Chegamos ao meio do mês de maio/20 e o milho, que havia acumulado queda de quase 20% durante o mês de abril/20, agora já registra alta de 4,67% no acumulado até agora nas negociações do mercado físico. Com grande parte do plantio feito dentro da janela ideal, a colheita nos principais estados produtores deve começar daqui um mês no país, e a partir daí o mercado irá se preparar para receber as mais de 70 milhões de toneladas que deverão ser colhidas.

Com previsões climáticas melhores e expectativa de estoques volumosos, as cotações do milho nos EUA fecharam em leve queda de 0,24%, apesar das vendas externas de cereal terem crescido no comparativo semanal, tal fato não foi suficiente ainda para dar sustentação ao mercado norte-americano. O radar segue no acompanhamento da safra norte-americana.

Foto: AgroinBlue

Sem grandes novidades na conjuntura do boi gordo. A última quinta-feira (14/mai) foi caracterizada por baixo volume de negócios, marcado pelas programações de abate alongadas em diversas regiões. Na região paulista, encerraram o dia em 8 dias úteis em média. No atacado o cenário também foi de lentidão, e com a oferta limitada, os preços devem continuar estáveis. As indicações da carcaça casada bovina continuam na faixa dos R$ 13,00/kg.

O Ministério da Agricultura e Assuntos Rurais da China anunciou nesta semana, que apesar dos esforços aferidos ao controle da PSA no país, a situação ainda é difícil. A alta do dólar e a necessidade de proteína animal do gigante asiático devem continuar sustentando as exportações e dando suporte as indicações da arroba.

soja-brasileira
Foto: Eng. Agrônomo Coimbra Martins Netto

Com o dólar chegando a máxima dos R$ 5,97 durante o dia de ontem, mas fechando com leve queda de 0,37%, as cotações da soja encontraram espaço para subir mais um pouco e fechar na casa dos R$ 116,00/sc em alguns portos brasileiros. O farelo de soja também registrou alta nas praças brasileiras, chegando a ser cotado à R$ 1.613/t em Rio Verde/GO, maior valor desde o dia 31/03/2020.

Nos EUA, o dia foi de calmaria nas negociações na bolsa, com o contrato com vencimento para julho/20 recuando 0,30% no comparativo diário. A preocupação segue com as vendas da oleaginosa norte-americana, que mesmo com o desempenho bom desta semana, ainda estão no menor patamar das últimas quatro safras.

Via Agrifatto

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com