Tereré é declarado patrimônio da humanidade pela Unesco

Tereré é declarado patrimônio da humanidade pela Unesco

PARTILHAR
cuia-de-terere-1
Foto: Divulgação

O Paraguai comemorou nesta quinta-feira (17) a decisão da Unesco de declarar o tereré, a tradicional bebida de ervas do pais, como patrimônio imaterial da humanidade

Bebida típica do Paraguai e muito apreciada em Mato Grosso do Sul, Paraná e Rio Grande do Sul o mate gelado, ou popularmente conhecido Tereré, foi declarado nesta quinta-feira (17), Patrimônio Imaterial da Humanidade, pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

O tereré foi indicado pelo Paraguai no quesito das “Práticas e Saberes Tradicionais Tereré na cultura Pohã Ñana”, em março de 2019 e aceito durante videoconferência de votação dos membros do Comitê de Patrimônio da Unesco hoje.

A videoconferência que contou com o Comitê de Patrimônio da Unesco, sob a presidência da Jamaica. A bebida se tornou o primeiro patrimônio imaterial que o Paraguai conseguiu incluir na lista.

O programa, denominado Lista Representativa do Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade (ICP), foi instituído em 2008, e tem objetivo de proteger importantes manifestações culturais em todos os países do mundo.

O jornal paraguaio ABC Color, explicou que o tereré é uma “bebida ancestral que até nossos dias mantém sua validade e cuja prática representa a transferência de um legado, mas também uma forma de estabelecer vínculos, já que se trata de uma manifestação cultural e social paraguaia”.

Em Campo Grande, Mato Grosso do Sul, apesar de vendido na maioria dos supermercados da cidade, a erva para preparo da bebida tem como “casa” o Mercadão Municipal, com suas tradicionais bancas de erva de tereré.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.