Top 5 dicas para elevar sua produção de galinhas

Top 5 dicas para elevar sua produção de galinhas

PARTILHAR
galo com galinhas
Foto: Divulgação

Produzir de forma eficaz, livre de desperdício de materiais, mão-de-obra, talentos e recursos naturais é um tremendo desafio para o empreendedor do campo

Por Juliana Virginio – A agropecuária sempre teve uma parcela expressiva na arrecadação do PIB brasileiro. Neste período de crise vivenciado no Brasil devido à pandemia do Coronavírus, o setor consolidou-se como principal pilar da economia, maior fonte geradora de empregos e renda no País. Dentre os diversos segmentos da agroindústria, a avicultura se destaca como negócio promissor ao proporcionar alta viabilidade econômica e rápido retorno do investimento.

De acordo com o Relatório da ABPA (Associação Brasileira de Proteína Animal) referente à produção de 2019, o Brasil é o maior exportador de carne de frango do mundo. Foram produzidas no Brasil, em 2019, 13.2 milhões de toneladas de carne de frango e exportadas 4.2 milhões de toneladas. Os Estados Unidos seguem o Brasil na exportação, uma vez que exportaram 3.2 milhões de toneladas e produziram 19.9 milhões de toneladas.

Para quem deseja iniciar na atividade alguns pontos fundamentas precisam ser considerados, dentre eles estão 5 dicas para o futuro Avicultor (a):

galinhas comendo milho
Foto: Divulgação

1) Responsabilidade Ambiental

O clima favorável, somado aos investimentos em fontes energéticas renováveis e a qualidade das instalações, permite ao Brasil produzir carne de frango com níveis de emissão de CO2 inferiores aos encontrados em diversos países do mundo. A avicultura brasileira é produzida com níveis de CO245% inferiores quando comparada à produção do Reino Unido e 50% inferior à produção francesa.

Deve-se ressaltar que no Brasil, grande parte da produção de aves e suínos é feita fora do Bioma Amazônico, onde as regiões Sul e Sudeste do País são responsáveis mais de 80% da produção brasileira destas proteínas.

Além disso, alegislação ambiental brasileira é atualmente uma das mais avançadas e abrangentes do mundo e instiga os empresários a investirem em iniciativas voltadas para a preservação ambiental e reutilização de recursos, a fim de aumentar a produtividade e reduzir os impactos ambientais.

galo no campo com as galinhas
Foto: Divulgação

2) P&D (Pesquisa e Desenvolvimento)

As aves vêm mostrando um aumento de desempenho sem precedentes nas últimas décadas. Isto se deu em decorrência de altos investimentos em tecnologia, genética, nutrição, bem-estar e sanidade animal. Dessa forma, os constantes melhoramentos são imprescindíveis para garantir o melhor rendimento e aproveitamento de carcaça. Ao produtor, cabe estar atento à evolução das demandas, uma vez que para manifestarem seu potencial máximo as aves precisam estar em ambiente confortável, bem manejadas, com a tríade temperatura, umidade e ventilação, adequados à cada momento do dia.

Investir em estrutura é fundamental. Com a tecnologia, os equipamentos de um aviário devem oferecer mecanismos de controle que apresentem o cenário do aviário em tempo real, podendo ser ajustados imediatamente às necessidades das aves. Os equipamentos devem consorciar eficiência tanto em sua operação física quanto em sua eficiência energética, garantindo custo-benefício ideal e ambiência de qualidade.

galo bonito com galinhas ao ar livre
Foto: Divulgação

3) Gestão de Recursos

Produzir de forma eficaz, livre de desperdício de materiais, mão-de-obra, talentos e recursos naturais é um tremendo desafio para o empreendedor do campo.

Mais de 70% do custo da produção está na matéria-prima, que se apresenta cada vez mais onerosa. Os colaboradores precisam ter consciência do custo da produção para identificarem os possíveis desperdícios e gargalos na propriedade, a fim de rapidamente saná-los. Os desperdícios podem estar muito próximos, seja nos comedouros mal regulados ou que já estão ultrapassados (pensando-se em tecnologia), nas linhas que podem ter automáticos que já não acusam que todos comedouros foram completados com ração. Podemos identificar desperdícios logo na entrada da ração na propriedade, no despejo da ração nos silos. O armazenamento é outro fator de atenção, uma vez que devem estar muito bem vedados, impedindo a passagem de umidade, para que não seja necessário descartar o produto.

Outros desperdícios recorrentes estão nas linhas de bebedouros, que precisam de manutenção constante, para evitar vazamentos, bem como os nipples que precisam estar limpos e bem regulados. Um galpão com alta umidade de cama pode trazer sérias complicações sanitárias ao lote, o que gera um alto desperdício e impacto financeiro.

Quanto à eficiência energética, deve-se atentar para o quando o sistema elétrico consegue atender às demandas do aviário, evitando sobrecargas que podem colocar em risco às instalações. Além disso, equipamentos modernos precisam ser considerados a fim de avaliar o custo-benefício, já que prometem melhor eficácia.

galinhas em foco
Foto: Divulgação

4) Formação de Equipes

Cada vez mais é necessário que a relação do colaborador com a empresa seja clara e inspire confiança. Em especial, com as novas gerações que estão chegando e formam a maior força de trabalho no mercado, chamadas Millenialls (nascidos entre 1980 e 1994, mais de 70 milhões de brasileiros em 2019). Esta geração é a primeira que nasceu na era da internet, na era digital, e manifesta agora suas características e necessidades. São considerados ansiosos, inquietos, ágeis, exigentes e querem coproduzir com as empresas. Esta constante busca por pertencimento faz com seja necessário por parte do empresário deixar claro suas metas e objetivos, além do papel fundamental do colaborador na função. Dessa forma, na busca por propósito, o colaborador conseguirá identificar se é parte de seus valores e princípios fazer parte da empresa.

galinha choca com pintinhos no cocho comendo
Foto: Divulgação

5) Bem-estar Animal

Além de ser assunto em voga dentre os consumidores, garantir o bem-estar é necessidade básica na produção animal. Do ponto de vista social e de mercado, é esperado que os animais vivam nas melhores condições possíveis ao longo de sua vida que tem por propósito garantir alimentação saudável ao homem. Por outro lado, viver em condições precárias de higiene e com maus tratos traz para a produção danosos prejuízos que inviabilizam a atividade. Os animais interagem com o meio. As aves são muito sensíveis às mudanças de temperatura, em especial ao calor excessivo. A sensação térmica é determinante quando se trata do estímulo à alimentação, digestão e aproveitamento dos nutrientes. O estresse atinge duramente o sistema imunológicos das aves. O ambiente limpo e livre de animais invasores promove maior segurança sanitária. Dessa forma, o meio ambiente é o principal responsável para que as aves manifestem seus resultados zootécnicos. Portanto, bem-estar não é apenas atender às exigências do mercado, é garantir rendimento e alta performance do plantel.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.