CLASSIFICADOS
Página Inicial » Notícias » Mercado de genética e sêmen prevê crescimento de 13% em 2016
Curso de gestão de pastagens, planejamento e manejo da teoria à prática, aprenda o método PDCA
vacas nelore genetica

Mercado de genética e sêmen prevê crescimento de 13% em 2016

A Alta, empresa líder no segmento de inseminação artificial, espera fechar o ano de 2016 com um faturamento de R$ 90 milhões, com crescimento de 13% em relação ao ano anterior. A empresa, de origem canadense, está há 20 anos no Brasil e saiu da posição de desconhecida para dona de um terço do mercado de sêmen. Foram comercializadas 4,5 milhões de doses, ante 68 mil doses duas décadas atrás. Este número representa um crescimento de 66 vezes, o que deixou a Alta em 2015 com um terço do mercado nacional.

“Nossa estratégia é sempre baseada em pessoas. Desde o início nós inovamos na equipe comercial: saímos do cenário de “apenas vendedores”, para profissionais técnicos comerciais. Por exemplo: contratamos médicos veterinários e zootecnistas para o time de vendas. Isso hoje é algo básico, mas no passado não era. Não tem como vender um produto sem saber o que ele é e o resultado por ele gerado, além de entender profundamente sobre o negócio do cliente”, destaca Heverardo Carvalho, Diretor da Alta.

Além disso, a empresa investe na capacitação profissional dos colaboradores, com constantes promoções por meio do plano de carreira. “Nós procuramos recrutar profissionais desde a época da faculdade através do Programa Jovens Talentos. Abrimos a Alta para os estudantes que desejam conhecer; fazemos o processo seletivo e recrutamos para estágio. Posteriormente, os melhores permanecem. E no dia a dia procuramos valorizar os talentos internos que temos por aqui quando surgem oportunidades”, reforça Carvalho.

Outro diferencial da Alta é a escolha pelos touros que vão para a Central. “Fomos pioneiros na busca de touros bem avaliados geneticamente. Somos dedicados em percorrer o Brasil e achar bons criatórios, que tenham os melhores animais, pois isso foi essencial para nossa companhia ser a número 1 do mercado. Todo este trabalho é feito com o objetivo de proporcionar o melhor resultado ao cliente. A meta é 100% de satisfação, se o cliente não vai bem, consequentemente a Alta também não. Se o cliente cresce, a Alta também cresce. Vivemos uma busca incessante para atingir esses objetivos”, afirma.

Atualmente a Alta conta com 115 funcionários, além da equipe terceirizada com 700 profissionais. Na Central, localizada em Uberaba, há 270 touros residentes e mais 12 vacas manequins, além dos animais que estão no quarentenário.

Fonte: Alta Genetics

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicadoEstes campos são obrigatórios *

*

x

Checar também

Se for levado em conta o cenário do ano passado, somente 41% das propriedades rurais leiteiras do país produzirão a bebida dentro dos padrões legais determinados pelo Ministério da Agricultura, conforme aponta um estudo da Clínica do Leite/Esalq-USP. Foto: Divulgação

Preço do leite ao produtor recuou 11,7% em novembro

O preço médio do leite recebido pelo produtor recuou 11,7% em novembro, na comparação com ...

bezerrada curiosa

A hora certa de usar os vermífugos no gado

O sucesso da produção na pecuária bovina depende, entre outras coisas, de um bom manejo ...