Campanha quer liberar doação de carne de javali

Campanha quer liberar doação de carne de javali

PARTILHAR
carne de javali jair bolsonaro
Foto: Divulgação

Engenheiro Agrônomo pede intercessão de Presidente Jair Bolsonaro para que libere a doação de carne de javalis abatidos em caçadas; confira

Através das redes sociais, o Engenheiro Agrônomo Rafael Salerno, faz apelo para o Presidente Jair Bolsonaro interceda para que os caçadores possam doar a carne dos animais abatidos. Rafael é Coordenador da Rede Aqui Tem Javali e pede a liberação da doação da carne de javali, que é proibido pelo Ibama.

O javali foi introduzida no Brasil a partir da década de 1960, principalmente para o consumo de carne na região sul do país. O animal é classificado como uma das cem piores espécies exóticas invasoras do mundo pela União Internacional de Conservação da Natureza. Sua agressividade e facilidade de adaptação são características que, associadas à reprodução descontrolada e à ausência de predadores naturais, resultam em uma série de impactos ambientais e socioeconômicos, principalmente para pequenos agricultores.

Em vídeo, que reproduziremos abaixo, ele menciona que os cantores de música sertaneja tem feito lives para arrecadar doações aos mais necessitados, principalmente pelo agravamento da pandemia causada pelo Coronavírus.

“Poucos sabem mas nós caçadores brasileiros temos doado inúmeras toneladas de carne para os mais necessitados porém devido à uma proibição de doação e venda pelo IBAMA da época da Presidenta Dilma” comentou Rafael.

E enfatiza para que outros caçadores façam também vídeos pedindo a liberação – “Por isso pedimos aos caçadores que façam vídeo com os abates pedindo “LIBERE A DOAÇÃO BOLSONARO” pois temos certeza de que o presidente Jair Bolsonaro, junto aos seus ministros podem se sentir sensibilizados ao nosso apelo, sabendo que pode ajudar no sustento de muitas famílias brasileiras.

Foto Divulgação

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com