Cólica em Cavalos, que mal é esse que mata os animais?

Cólica em Cavalos, que mal é esse que mata os animais?

Cavalos
Foto: Divulgação/ Reprodução

Estudos realizados nos Estados Unidos demonstram que a maior causa de mortalidade por enfermidade em cavalos é a síndrome cólica.

Segundo alguns estudos realizados nos Estados unidos, até 28% de casos de enfermidades em fazendas de lá são de cólicas, sendo que a mortalidade de cavalos por essa enfermidade perde apenas para a velhice. Certamente esses dados podem ser extrapolados para a grande maioria dos cavalos do mundo, pois o manejo geral é semelhante.

Segundo a Universidade de Liverpool (RU), a cólica é um termo usado para descrever um sintoma de dor abdominal, que em cavalos geralmente é causada por problemas no trato gastrointestinal. Existem mais de 70 tipos diferentes de problemas intestinais que causam sintomas de cólica, que variam de leve a grave (com risco de vida).

Mas por que matamos cavalos? Porque 99% dos quadros de cólicas ocorrem por erros de manejo. E quem maneja os cavalos no dia a dia? Nós, os seres humanos que amamos e admiramos essa nobre espécie. Consequentemente, basta acertar e corrigir o manejo na rotina diária dos cavalos que praticamente eliminamos os riscos de cólicas.

Mas então por que ainda ocorrem tantos quadros de cólicas e cavalos morrem por causa disso? Em primeiro lugar, porque, infelizmente, o ser humano, no mundo todo, acredita que cólica em cavalo é normal. Mas estado de saúde é normal; doença é um mal que afeta um ser vivo e que deve ser evitado a todo custo, especialmente por aqueles que cuidam e devem zelar pela saúde dos animais; e aqui esse cuidado vai desde o tratador, passando pelo proprietário, chegando aos colegas médicos veterinários.

O papel do ser humano deve ser manter a saúde e garantir o bem-estar dos animais, conhecendo quais são suas necessidades e ofertando aos cavalos o que eles necessitam, de forma a propiciar-lhes uma boa vida com ótimo desempenho.

Mas por que ocorre a síndrome cólica no equino? Qual o manejo correto que deve ser utilizado para se evitar esse transtorno que custa a vida de tantos cavalos todos os dias?

A cólica não é uma doença. Ela é uma combinação de sinais para indicar que o cavalo sofre dores abdominais. Pode variar de leve a aguda e nunca deve ser ignorada. Os casos de cólica devem ser considerados emergência, independente do grau de dor. A atenção deve ser contínua até a resolução do problema.

Para o produtor o maior problema está na identificação dos sintomas da cólica, que podem variar de acordo com a severidade da dor. Mas é muito importante para a saúde do animal que o criador saiba identificar esses sinais para que um profissional seja solicitado o mais rápido possível.

Os principais sintomas são:

  • Virar a cabeça na direção do flanco;
  • Bater das patas;
  • Animal se posiciona para urinar, mas não o faz;
  • Animal se levanta e deita repetidamente;
  • Animal rola violentamente;
  • Animal senta como se fosse cachorro ou deita sobre as costas;
  • Falta de apetite (anorexia);
  • Baixar da cabeça para beber água sem fazê-lo;
  • Ausência de movimento visceral tendo como evidência o
  • Baixo número de montes de estrume;
  • Ausência ou redução de sons digestivos;
  • Respiração ofegante e/ou narinas queimadas;
  • Batimento cardíaco elevado (Acima de 52 batimentos por minuto);
  • Suor excessivo, depressão;
  • Enrolar dos lábios (reação Flehmen) e extremidades frias;

Identificado algum desses sinais, o criador deve chamar o médico veterinário para avaliar o animal. O tempo é, quem sabe, o fator mais crítico para que a cólica seja tratada com sucesso.

Fonte: Revista Veterinária

PARTILHAR

21 anos, Jales/SP.
Estudante de Jornalismo, fotógrafa e estagiaria em Assessoria de Imprensa.
Contato: jornalismo@comprerural.com