Equipe é destaque na caça de Javalis

Equipe é destaque na caça de Javalis

PARTILHAR
Grupo Sartore Caça ao Javali
Foto Divulgação.

Foram mais de 7 mil javalis abatidos nos últimos anos, evitando a devastação de lavouras e em diversos sítios e fazenda no Brasil. Veja que sensacional!

A liberação da prática de controle populacional de javali em todo o Estado de São Paulo trouxe mais segurança para agropecuaristas do noroeste paulista. Uma equipe de profissionais totalmente autorizados pelos órgãos competentes tem se destacado nesse novo empreendimento. 

Só a equipe Sartori, destaque da matéria, abateu mais de 190 javalis abatidos nos últimos meses, evitando a devastação de lavouras e em diversos sítios e fazenda da região, incluindo outros estados da União. A Equipe Sartore – Controladores de Votuporanga e Fernandópolis – são os responsáveis por salvar fazendeiros e agropecuaristas atingidos pelo excesso populacional dos javalis. 

O javali provoca desequilíbrio ambiental e prejuízos a lavouras de pequeno e médio porte. Sem predadores naturais no País, as populações do animal crescem de forma rápida.

No Brasil já existem 44.408 registros ativos de “controladores” autorizados a capturar e abater javalis. Pelo menos 563 municípios brasileiros já foram oficialmente afetados pelo javali. 

O processo de autorização para caça, que era feito no papel, passa a ser 100% digital. A normativa também dá detalhes de como devem ser as armadilhas usadas para a captura do animal e regulamenta o uso de cães.

Fica permitido ainda o uso de armas brancas para o abate dos animais capturados. Na primeira legislação, de 2013, o uso de cães, armas brancas e armadilhas não eram proibidas, mas não havia detalhes de como esses artifícios deveriam ser empregados. 

Outra novidade é que o cadastro das propriedades onde ocorrem as ações de controle passa a ficar vinculado ao número de Cadastro Ambiental Rural (CAR). A medida é considerada importante para o mapeamento das regiões de ocorrência de javalis. 

dogo_argentino_01
Cães são equipados com coletes para caçar javalis (Foto: Marcos Vinicio Oliveira Galvão/Divulgação)

Para que o serviço ocorra na propriedade rural, o proprietário emite uma autorização a equipe e comunica o dia em que o processo de abate do animal será feito. A própria Equipe Sartore também se encarrega do transporte dos javalis abatidos. 

Mais 7 mil javalis são abatidos no Brasil

Ameaças às lavouras, principalmente, os javalis continuam sendo alvos de manejo (o termo caça não é utilizado) na Serra Catarinense. Dados oficiais da Polícia Militar Ambiental de Lages (PMA) indicam que, de 2010 para cá, já foram abatidos cerca de 7 mil animais. O maior número de abates ocorreu em 2015 (1.159).

O javali é um animal exótico que causa sérios danos ambientais, sobretudo nas plantações agrícolas. Ele está presente em todas as regiões de Santa Catarina, mas, em especial, na Serra e no Oeste catarinense. Além de danificar lavouras, comendo, fuçando e pisoteando as plantações, a espécie é agressiva e ameaça a saúde e a segurança das pessoas e de animais domésticos.

problema dos javalis e javaporcos 1
Foto: Divulgação

O comandante da PMA, em Lages, capitão Marco Marafon, explica que o número de autorizações para o manejo das espécies tem caído nos últimos anos. O pico de emissões de autorizações (650) ocorreu entre 2015 e 2016. Um dos motivos por esta queda é porque o Ibama também passou e emitir os documentos.

O chefe da unidade da Copercampos de Campo Belo do Sul, Jocelito Mattos, afirma que os javalis continuam causando prejuízos para agricultores da região. Segundo ele, há proprietários que estão, inclusive, contratando pessoas para cuidar das lavouras. As plantações de milho, soja e feijão são os principais alvos.

Em Santa Catarina, o controle dos javalis é feito pela Polícia Ambiental, que foi designada pela Secretaria de Estado da Agricultura como responsável pela expedição das permissões para realizar o controle das espécies. Esse trabalho é feito em parceria com a Cidasc, que trabalha a questão sanitária. Paralelamente, recentemente, o Ibama também passou e emitir autorização para o controle das espécies.

Marafon explica que é exigido uma série de procedimentos e documentos para abater os animais com arma de fogo, sem infringir a lei. Dentre os requisitos, o caçador, que geralmente está ligado a um clube de tiros, precisa da autorização da PMA ou do Ibama e da guia de tráfego emitido pelo Exército. 

caça ao javali
Foto: Divulgação

Além disso, necessita de uma procuração assinada pelo dono da propriedade rural, autorizando o manejo do animal no local. Caso contrário, se a fiscalização encontrar o caçador sem a companhia do proprietário ou sem a autorização, a ação é considerada ilegal.

Ainda sobre o controle

A PMA utiliza várias ferramentas de controle da população de javalis. Uma delas é o aplicativo “Ambiental SC”. Trata-se de uma plataforma que auxilia os proprietários de terrenos atacados pelo animal e, também, caçadores que auxiliam no combate. 

Ainda como parte das ações de controle do animal, a PMA elaborou cartilhas de educação ambiental. Além disso, distribuiu armadilhas para capturar os animais, ajudando a controlar as espécies.

SERVIÇO: A contratação da Equipe Sartore pode ser feita pelo telefone (17) 99719-8434 

Compre rural com informações do Região Noroeste

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com