Fazenda Rio da Paz vence Mérito Genético Angus 2020

Fazenda Rio da Paz vence Mérito Genético Angus 2020

PARTILHAR
Fazenda Rio da Paz vence Mérito Genético Angus 2020
Foto: Divulgação

O Mérito Genético Angus chancela o trabalho realizado pela fazenda ao longo do ano em busca do melhoramento genético do rebanho Angus

A Fazenda Rio da Paz, de Cascavel (PR), consagrou-se campeã do Mérito Genético Angus 2020. O reconhecimento foi concedido pela Associação Brasileira de Angus à propriedade comandada pela família Zancanaro nesta quinta-feira (26/11), durante a última noite da Jornada Técnica Angus Virtual. O prêmio chancela o trabalho realizado pela fazenda ao longo do ano em busca do melhoramento genético do rebanho Angus. “Esse prêmio representa um trabalho sério, dedicado e com muito foco. Nós acreditamos em seleção, e sem avaliação genética não teremos evolução em nosso rebanho”, destacou o sócio-proprietário da Rio da Paz, Renato Zancanaro. A fazenda havia vencido o mérito pela primeira vez em 2018.

A família iniciou o criatório de Angus há 22 anos e, hoje, trabalha na produção de animais a campo que tragam resultados efetivos para seus clientes. Para garantir o constante melhoramento genético de seu rebanho, a Rio da Paz utiliza ferramentas como o Programa de Melhoramento de Bovinos de Carne (Promebo) e o Clarifide (Zoetis), além de avaliação de carcaça por ultrassom. No entanto, o criador ressalta que é essencial entender os dados disponibilizados pelo programa para aplicá-los de forma prática em seu rebanho, que atualmente é de 1.800 cabeças, dessas 650 Angus Puro de Origem (PO). “Precisamos saber onde temos que evoluir para realizar as devidas correções. Isso é um trabalho diário dentro da nossa propriedade”, explica Zancanaro, filho do pecuarista e proprietário da Fazenda, Antônio Zancanaro, ressaltando que hoje há um mercado sedento por animais de qualidade e com informações genéticas.

Para o presidente da Associação Brasileira de Angus, Nivaldo Dzyekanski, o mérito reconhece o excelente trabalho realizado pelo criatório ao longo do ano. “Mesmo com as dificuldades impostas pela pandemia, a Rio da Paz mostrou um desempenho admirável na seleção genética de seus animais. E esse é o caminho para o melhoramento do rebanho nacional, fomentado pela Angus através de novos projetos. Buscamos exemplares cada vez mais eficientes, resistentes ao carrapato e adaptáveis aos mais diferentes climas e, para isso, precisamos trabalhar arduamente no melhoramento genético.”

Segundo Silvia Freitas, superintendente de Registro Genealógico da Associação Nacional de Criadores Herd-Book Collares (ANC) e representante do Promebo no evento, o intuito de um programa de melhoramento genético é enxergar a evolução de indivíduos na propriedade e identificar de que maneira melhorá-los cada vez mais. “O novo prêmio Mérito Genético, novo devido à reestruturação dos critérios (em 2018), visa destacar os selecionadores que usam essa importante ferramenta de seleção, que é o Promebo, para evolução de seus plantéis. A reestruturação ainda servirá para que os criadores utilizem esses resultados para ter um parecer genético de seu próprio rebanho, permitindo a comparação da evolução anual com o Índice Mérito Genético”, afirmou Silvia.

Fábio Barreto, representante da Progen, destacou que está havendo um crescimento do número de selecionadores que estão pontuando no prêmio. “Isso mostra que está ocorrendo uma maior adesão à utilização das ferramentas de seleção”, explicou. Neste ano, 25 selecionadores foram ranqueados no Mérito Genético. Em 2019, esse número era de 22 rebanhos e, em 2018, 20.

O processo de avaliação do mérito, detalhado por Silvia durante o evento, é dividido em critérios eliminatórios e de pontuação. Para participarem da disputa, os criadores devem primeiramente cumprir todos os critérios eliminatórios como, por exemplo, ter o rebanho avaliado para desmama e sobreano no Promebo nas últimas três gerações. Depois de ter passado por essa fase, os selecionadores têm seus rebanhos avaliados em nove critérios, que dão origem a um índice, pelo qual a Associação calcula e prediz o desempenho de cada propriedade. “Para que tenham alta pontuação, os criadores precisam fazer seleção de fêmeas para a manutenção do rebanho com alto índice final, selecionar touros para acasalamento também com alto índice final, buscar ter uma porcentagem alta de machos e de fêmeas dupla marca, ter progresso genético acima da média da raça para o índice Final e Índice Bioeconômico de Carcaça, fazer avaliação de carcaça por ultrassom e não realizar pré-seleção de animais”, explica Mateus Pivato, gerente de Fomento da Angus.

Também foram condecorados os outros quatro criatórios que formam o top 5 do Mérito Genético Angus 2020. Com poucos pontos de diferença da Rio da Paz, em segundo lugar destacou-se a Cabanha Santa Joana, de Ulisses Rodrigues Amaral, de Santa Vitória do Palmar (RS), que já foi seis vezes campeã do prêmio. O terceiro lugar ficou com a Cabanha Santa Nélia, de Clóvis Teixeira Gonçalves da Silva, de Jaguarão (RS), seguida da Cabanha Recalada, do pecuarista Fábio Langlois Ruivo, de Capão do Leão (RS). A quinta colocação foi conquistada pela Cabanha Santa Cecília, do criador Donato Gonçalves, de Santiago (RS). “Todas as 25 propriedades que pontuaram no mérito já são campeãs”, destaca Pivato.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com