Mesmo com dólar estável preço da soja recua nos portos

PARTILHAR
SLC_SEMENTES_COLHEITA_SOJA_2019_083
Foto: Divulgação

Ainda que com forte volatilidade registrada, o dólar encontrou um suporte, no entanto, soja seguiu em desvalorização nos portos brasileiros; dólar estabilizado nos R$ 4,90

Dia de leve desvalorização no mercado físico de milho brasileiro, em São Paulo, a realidade de preços já está próxima de romper o suporte dos R$ 47,00/sc. À medida que a colheita avança as cotações seguem sua trajetória de queda. Na B3, o preço do milho caminhou de lado nos contratos futuros, o vencimento para julho/20 encerrou cotado à R$ 43,36/sc, próximo da mínima dos últimos 50 dias.

Em Chicago, o dia foi de calmaria, com o contrato para julho/20 fechando em leve queda de 0,38%, cotado à US$ 3,26/bu. O avanço na produção de etanol de milho dá sinais de recuperação para o mercado do milho, no entanto, o relatório de hoje do USDA sobre oferta e demanda é o que ditará o ritmo do mercado nos próximos dias. Aguarda-se algo em torno de 84,8 milhões de toneladas de estoques finais para a safra que está em desenvolvimento agora no país.

Foto Divulgação

Mercado atacadista de carne bovina aquecido, os relatos são de boas vendas e as expectativas são de reajustes positivos, entretanto, a ponta compradora continua resistente em ceder aos preços mais elevados. Hoje, quinta-feira dia tradicionalmente com maior número de negociações, será a definição das indicações de fato.

Para o mercado de boi gordo, a arroba continua firme. Negociações em patamares maiores aparecem, em R$ 210-215/@ por exemplo, mas ainda são tímidas. As programações de abate em São Paulo encerraram a véspera de feriado em 4 dias úteis. Na B3, os contratos futuros encerraram o dia em campo positivo, com o junho em R$ 208,60/@, alta de 1,61% ante a véspera, e o outubro em R$ 207,55/@ (+1,24%).

Por: LÁSARO, Carlos

Com valorização de 0,89% na quarta-feira, o dólar conseguiu frear uma desvalorização mais forte da soja no Brasil. O mercado físico da oleaginosa buscou o patamar de R$ 101,00/sc em alguns portos brasileiros, com grande parte da soja brasileira já negociada, os produtores saíram das vendas tanto no mercado físico quanto no futuro.

Na CBOT, o vencimento da soja para mar/21 reduziu 0,14% ficando em US$ 8,77/bu, no entanto, o relatório de oferta e demanda do USDA determinará o ritmo da cotação desta no país, já que há no radar uma expectativa de aumento no tamanho da área plantada de soja nos EUA. Números acima do esperado podem pressionar para baixo o preço da oleaginosa em Chicago.

Via Agrifatto

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.