O que é essencial para as instalações para bezerras leiteiras

O que é essencial para as instalações para bezerras leiteiras

PARTILHAR
O que é essencial para as instalações para bezerras leiteiras
Foto: Divulgação

Uma instalação adaptada as necessidades locais, com características construtivas que garantam o máximo de conforto e bem estar, permitindo que o animal abrigado desenvolva todo o seu potencial genético

Daisa Mirelle Borges Dias – Para países com climas subtropicais e tropicais, como o Brasil onde a temperatura e umidade do ar são muitas vezes um limitante ao desenvolvimento, a produção e reprodução dos animais, devido ao estresse associado a esses fatores. Por esses motivos os materiais que serão utilizados para a construção das instalações devem oferecer um bom isolamento térmico, onde o ambiente interno dessas instalações seja menos influenciado por esses fatores de variação climática. Bezerros de vacas leiteiras podem ser criados com instalações simples, que ofereçam a cria condições de higiene e saúde eficientes, resultando em ótimos resultados de desenvolvimento.

A separação da vaca e do bezerro imediatamente após o nascimento é uma prática rotineira em fazendas leiteiras em todo o mundo, sendo os defensores dessa prática argumentam que ela impede que a vaca e o bezerro formem uma ligação forte e, portanto, reduz o estresse associado a separação quando ela ocorre mais à frente. Um dos principais fatores relacionado com a alta taxa de mortalidade e morbidade de animais jovens em rebanhos leiteiros está relacionado a instalações inadequadas. O excesso de umidade, falta de higiene, concentração excessiva de amônia e de agentes causadores de doenças são alguns dos fatores que podem elevar os índices de diarreia e problemas respiratórios.

Atualmente, existem inúmeras opções de instalações para bezerros em aleitamento, como bezerreiros fechados e coletivos, até a abrigos individuais confeccionados com diversos materiais. Ao planejarmos instalações para bezerras em aleitamento, devemos levar em conta que esse alojamento deverá ser voltado para animais em uma fase delicada (FERREIRA, 2016).

Estes animais serão constantemente desafiados pelo ambiente e sua imunidade ainda é dependente das defesas que foram adquiridas através do consumo de colostro, o que muitas vezes pode não ter sido adequado. Nos primeiros três meses de vida dos bezerros são mais críticos, devido ao seu sistema imunológico ainda não se encontra totalmente desenvolvido. Sendo após o nascimento o colostro a principal fonte de proteção contra os microrganismos patogênicos presentes no ambiente. O colostro fornece anticorpos, um alto valor nutritivo e estimula as funções normais do trato digestivo (RODRIGUEZ et al., 2009).

As instalações que melhor forneça bem estar aos bezerros em fase de aleitamento devem ter três requisitos fundamentais que devem ser considerados sendo, separação dos bezerros por idade, proteção contra ventos fortes, cama seca, boa ventilação, sombra, isolamento e conforto dos animais. É indicado que não exista contato entre eles, promovendo e reduzindo os riscos de infecção cruzada e disseminações de doenças. Como a transmissão dos principais patógenos que causam doenças em bezerras é do tipo oral-fecal, seja através do contato entre animais ou uso de utensílios (baldes, cochos) com limpeza inadequada, o isolamento entre os animais é considerado um dos princípios fundamentais de um bom sistema de criação. Devendo oferecer a proteção dos extremos térmicos e climáticos, acesso adequado ao alimento, garantia da segurança com relação a não gerar ferimentos, manutenção da saúde e bem estar dos animais. O uso contínuo da mesma instalação pode levar a gastos com medicamentos e menores ganho de desempenho dos bezerros.

Temos os bezerreiros tradicionais, de alvenaria ou de madeira, que são bastante utilizados nos criatórios brasileiros, entretanto, são instalações que necessitam de investimentos elevados e difícil manter o ambiente limpo e sem umidade. Também temos a criação em baias fechadas e requer bastante mão-de-obra, retirar restos de alimentos do ambiente, troca de cama das baias e limpeza bastante trabalhosa. Outra opção de instalações para bezerras é a recria em piquetes coletivos. Entretanto, esse sistema é pouco recomendado devido à dificuldade no controle do fornecimento individual de leite. A também a opção pelo uso dos abrigos (casinhas) individuais tem como principal vantagem a individualização dos animais, além do custo reduzido e do baixo peso, permitindo mudanças frequentes com o objetivo de buscar sempre um novo ambiente seco e limpo.

Atualmente, no Brasil, outro modelo de alojamento bastante utilizado é o chamado “sistema tropical” os animais são alojados individualmente, contidos por uma coleira e corrente (1,5 metros) a um fio de aço de aproximadamente 12 metros. O animal tem uma área mais ampla e possibilidade de escolha do local para se deitar, além do controle da nutrição também ser individualizado e também a opção de mudança de local do animal dentro do bezerreiro, favorecendo aos animais estarem sempre em local sem umidade.

Assim, não há “a melhor” ou uma única forma de alojamento de bezerras em fase de aleitamento, devendo sempre ser feito um levantamento do custo/benefício e a opção que adapte e atenda as necessidades da sua região, considerando suas características climáticas. É imprescindível que a instalação forneça e garanta as condições ideais de temperatura, ventilação, sombra, cama limpa, acesso à água fresca, ração de qualidade, boas condições de sanidade e princípios básicos de conforto aos animais.

*Daisa Mirelle Borges Dias – Médica Veterinária e mestranda em Zootecnia – Instituto Federal Goiano Rio Verde – GO

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com