Oeste catarinense é uma potência agropecuária

Oeste catarinense é uma potência agropecuária

PARTILHAR
angela mezabora buffon - produtora de leite em santa catarina
Na foto Angela Mezabora Buffon, produtora de leite em Iomerê (SC)

Conforme levantamento de 2019, o oeste é responsável por 75% da produção de leite de Santa Catarina, por 80% de aves e por 78% da carne suína

Os programas do Sebrae/SC voltados à melhoria de processos – disponibilização de produtos e serviços para potencializar resultados e expandir negócios – têm fortalecido a cadeia da proteína animal na região. Conforme levantamento de 2019, o oeste é responsável por 75% da produção de leite do Estado, por 80% de aves e por 78% da carne suína.

Todo esse potencial produtivo tem sido aprimorado ao longo dos anos a partir de vários programas, parcerias, consultorias tecnológicas, ações com as cooperativas, incentivos das Prefeituras e dedicação dos empresários rurais, que contribuem para o acesso a novos mercados como o internacional.

Na bovinocultura leiteira a ênfase é a implantação de boas práticas de produção com melhoria na gestão, nos índices reprodutivos, alimentares, de sanidade e genética. Os empresários rurais acessam, através da consultoria tecnológica, a melhoria dos processos de produção, uso e implantação de controles, planejamento das etapas produtivas com aplicação de técnicas que geram a elevação do grau de competividade do seu negócio.

Tecnologias desenvolvidas e aplicadas aos planteis leiteiros focam em processos de melhoria genética e alimentar, implantação de métodos de ambiência, controle de temperatura e aprimoramento de indicadores na produção de sólidos, visando a conversão nas plataformas industriais. Os programas também executam outras práticas desenvolvidas em países como Estados Unidos, Israel e Nova Zelândia que são adequadas à realidade regional.

Outra iniciativa é o “Encadeamento Produtivo Aurora Alimentos: suínos, aves e leite” que desenvolve empresas rurais para ampliar negócios e melhor a competitividade, habilitando-as nas exigências dos mercados.

ENCADEAMENTO PRODUTIVO

O projeto visa desenvolver microempresas e empresas rurais e urbanas de pequeno porte da cadeia de valor da Cooperativa Aurora, com vistas à ampliação de negócios entre eles, a melhoria na competitividade das empresas envolvidas, habilitando-as ao atendimento das exigências dos mercados nacional e internacional.

Entre as ações desenvolvidas estão: programa no campo fase I – de olho na qualidade; no campo fase II – gestão da qualidade rural; sustentabilidade aplicada em empresas rurais; capacitação para técnicos; resgate de olho na qualidade; missões empresariais; feiras de negócios; seminários e outros eventos.

De acordo com o coordenador dos programas de qualidade da Aurora, Joel Pinto, o case da Coopercentral tem despertado a atenção em todo o Brasil, por instigar a curiosidade sobre que é ofertado de diferenciado aos produtores rurais que os tornam mais produtivos, com uma melhor gestão do negócio e uma propriedade organizada. “São 21 anos de trabalho, no qual o programa vem contribuindo para que as pessoas permaneçam no campo com renda e qualidade de vida. Esse know-how instiga o interesse, pois conseguimos mostrar ao produtor a viabilidade do seu negócio, o que reflete também na manutenção do jovem no campo. Pesquisa com as famílias participantes do programa revelou que mais de 60% das pessoas têm menos de 43 anos, ou seja, o meio rural ainda é jovem e temos muito trabalho a realizar”, argumentou ao antecipar que em 2020 será a primeira vez em que todas as cooperativas do Sistema Aurora participarão do projeto.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com