Posse de arma é essencial e precisa ser resolvida

Posse de arma é essencial e precisa ser resolvida

PARTILHAR
arma-de-fogo-decreto-de-posse-de-arma
Foto: Michael Laughlin / Sun Sentinel

Uma questão de segurança e, também, de sobrevivência no campo está sendo revogada por quem não tem conhecimento da realidade da insegurança no campo.

O plenário do Senado aprovou a revogação do decreto do presidente Jair Bolsonaro que flexibilizou o acesso da população a compra e posse de armas no Brasil.

Por 47 votos a 28, os senadores aprovaram um Projeto de Decreto Legislativo (PDC), do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) e de outros senadores, que susta os efeitos da flexibilização. A matéria segue agora para análise na Câmara dos Deputados.

Eu avalio com muita tristeza essa decisão do Senado, onde cada parlamentar custa 350 mil por mês aos cofres públicos e nada é decidido.

O argumento da maioria dos senadores é de que as alterações deveriam ser feitas por projeto de lei e não decreto. Mas acontece que o Congresso não se move, não faz nada para mudar o histórico de violência que sempre teve no Brasil e, em seis meses de governo, com algumas regras que estão tentando implementar, a violência já caiu 30%. Nossos parlamentares precisam entender isso!

Eu avalio com muita tristeza essa decisão do Senado, onde cada parlamentar custa 350 mil por mês aos cofres públicos e nada é decidido. Muito disso se deve à preocupação de muitos políticos em insistir nessa história de oposição para destruir o Brasil, como se houvesse muito mais a ser destruído.

A questão do porte de arma, meus amigos, é essencial. Principalmente para o homem do campo, que fica à mercê dos criminosos em regiões isoladas de todo o Brasil.

Se os nobres parlamentares possuem dúvidas sobre o decreto, que tirem essas dúvidas ou sugiram a retirada de alguns pontos, mas o que não pode acontecer é o tema ficar estagnado e nada ser definido.

Fonte: Blog do Daoud

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.