270 cabeças de gado foram abandonadas em fazenda

270 cabeças de gado foram abandonadas em fazenda

PARTILHAR
gado-maus-tratos-cassilandia-16-de-maio-de-2019-6
Animais morreram ou estavam debilitados - Divulgação / PMA

Dos animais, 17 morreram e os demais estavam debilitados. Proprietário abandonou animais em área sem disponibilidade de forragem e água. Veja!

Fazendeiro de 63 anos foi multado em R$ 135 mil por abandonar 270 cabeças de gado sem pastagem e água em uma fazenda localizada em Paranaíba. Situação foi constatada nessa quinta-feira (16), pela Polícia Militar Ambiental (PMA).

Equipe da PMA foi até o local após receber denúncias de possíveis maus-tratos a animais e, ao chegar na propriedade, constatou que a pastagem estava totalmente degradada, apresentando apenas terra, sem grama, em grande parte, de onde o gado não podia mais retirar alimento. Além da situação, o tamanho da área era pequeno para as 270 cabeças. 

gado-maus-tratos2
Animais morreram ou estavam debilitados – Divulgação / PMA

Todos os animais estavam extremamente debilitados, com alguns deitados sem conseguir se levantar, e 17 deles já estavam mortos por desnutrição.

O proprietário, que mora em Três Lagoas, não estava na propriedade. Vizinhos informaram que há aproximadamente três meses não aparece ninguém na propriedade, estando a sede abandonada e deteriorada.

gado-maus-tratos2
Animais morreram ou estavam debilitados – Divulgação / PMA

Gado foi apreendido e a Agência Estadual de Defesa  Sanitária Animal e Vegetal (Iagro) foi acionada para as providências relativas aos animais.

O fazendeiro foi autuado administrativamente e multado em R$ 135 mil por maus-tratos aos animais e mais R$ 10 mil por degradação das matas ciliares de córrego existente na fazenda. 

gado-maus-tratos3
Animais morreram ou estavam debilitados – Divulgação / PMA

Ele também responderá por crime ambiental de maus-tratos a animais, que tem pena prevista de três meses a um ano de detenção e por degradação de área protegida de preservação permanente, com pena prevista  um a três anos de detenção.

Fonte: Correio do Estado

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com