Carnaval no mercado do boi e arroba sobe a ladeira, veja!

Carnaval no mercado do boi e arroba sobe a ladeira, veja!

PARTILHAR
Foto Divulgação.

Frigoríficos devem antecipar compras pagando mais, para garantir oferta no período de feriado do Carnaval; Em alta, boi gordo já desfila na passarela das compras.

O mercado do boi gordo deve continuar firme no curto prazo, com tendência de alta no preço da arroba, motivada pela antecipação de compras dos frigoríficos que ainda não preencheram as suas escalas de abate e necessitam fazê-lo rapidamente, antes do período de feriado do Carnaval.

“Neste resto de semana, algumas indústrias podem entrar comprando no mercado para garantir a compra de lotes de boiadas que não serão possíveis de adquirir na semana seguinte, devido ao período de recesso”, prevê o médico veterinário Hiberville Neto, analista da Scot Consultoria.

No aplicativo do Agrobrazil, parceiro do Compre Rural, as cotações do boi gordo estão em alta. Pecuarista de Quintana/SP, teve sua arroba negociada a R$ 202/@ para pagamento a vista e data de abate para 02 de março. Já em Porangatu/GO, o boi gordo saiu por R$ 193,00/@ com 30 dias para pagamento e data do abate para o dia 26 de fevereiro. Ainda em São Paulo, valor encontrado em Sandovalina, para o boi padrão exportação foi de R$ 205/@ com pagamento a vista e abate no dia 28 de fevereiro.

Pelo lado da demanda, o feriado de Carnaval costuma ser um período de maior consumo de carne bovina – onde tem festa, há o tradicional trio churrasco-cerveja-samba.

Além disso, na avaliação da Informa Economics FNP, outro fator altista no mercado do boi gordo é o próprio comportamento dos pecuaristas, que seguram os lotes de animais terminados no campo, motivados pelas boas condições de pasto, forçando novos aumentos na arroba.

Com isso, relata a FNP, o ambiente de preços firmes prevaleceu entre as praças pecuárias brasileiras, com destaque para o Mato Grosso. No Estado, diz a consultoria, além da firme demanda das plantas frigoríficas locais, os pecuaristas recebem ofertas de compradores de gado de regiões vizinhas. “Os compromissos com as vendas externas também têm oferecido suporte adicional ao mercado matogrossense, sobretudo pelo fato de que 52% das exportações de carne bovina Estado estão sendo direcionadas à China”, informa a FNP.

Na praça de São Paulo, o valor do boi gordo segue estável, a R$ 204, a prazo.

Segundo Safras&Mercado

A arroba do boi gordo seguiu firme nesta terça feira, 19, de acordo com a Safras & Mercado. O analista Fernando Henrique Iglesias aponta que não há espaço para novas altas diante do escoamento mais lento de carne bovina, algo natural para o fim do mês, quando o consumo se desacelera. “Com isso, os frigoríficos ficam muito menos agressivos na compra de gado”, comenta.

Mas, segundo o especialista, as pastagens permanecem em excelentes condições, permitindo que o pecuarista ter por mais tempo os animais no campo para um completo processo de engorda.

Na capital de São Paulo, a arroba do boi gordo fechou a R$ 203/R$ 204. Em Uberaba (MG), permaneceu em R$ 196. Já em Dourados (MS), seguiu em R$ 195. Em Goiânia (GO), a indicação é de R$ 195. Por fim, em Cuiabá (MT), preços a R$ 183 por arroba.

Atacado

Os preços da carne bovina caíram, segundo levantamento da Safras. “Com o arrefecimento das vendas de carne bovina no varejo na segunda metade do mês, os preços devem continuar em queda até a virada para março”, projeta Iglesias.

De acordo com o analista, o consumidor médio não tem condições de absorver os constantes reajustes para cima na carne bovina, e parte para alternativas que causem menor impacto em seus orçamentos domésticos, notadamente a carne de frango.

O corte traseiro caiu de R$ 14,65 para R$ 14,60 por quilo. A ponta de agulha recuou de R$ 11,95 para R$ 11,55 por quilo. Já o corte dianteiro caiu de R$ 12,70 para R$ 12,50 por quilo.

Compre Rural com informações do Portal DBO, Safras&Mercado, Agrobrazil

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com