Rio Grande do Sul antecipa vacinação contra aftosa

Rio Grande do Sul antecipa vacinação contra aftosa

PARTILHAR
Foto: Bezier Filmes / Divulgação

Fique atento pecuarista gaúcho, após o fim da etapa, você terá 5 dias úteis para comunicar a imunização junto às Inspetorias de Defesa Agropecuária.

Com a autorização do Ministério da Agricultura para o Rio Grande do Sul antecipar a etapa de vacinação de maio para março, o produtor precisa estar atento aos novos prazos. As casas agropecuárias credenciadas junto à Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural já estão realizando as encomendas das doses. A abertura da etapa será no dia 16 de março, uma segunda-feira, e o prazo para aplicação da vacina vai até 14 de abril.

Após o fim da etapa, o produtor tem até cinco dias úteis para comunicar a imunização junto às Inspetorias de Defesa Agropecuária. O prazo para informar o procedimento, devido ao feriado de Tiradentes, se encerra no dia 22 de abril.

A recomendação dos técnicos da SEAPDR é que as doses sejam aplicadas logo no início da etapa. “Quando o produtor vai deixando o procedimento para os últimos dias, a chance de haver atraso ou problema para cumprir o manejo é maior”, alerta o médico veterinário Fernando Groff, do Programa de Combate à Febre Aftosa.

O presidente Fundo de Desenvolvimento e Defesa Sanitária Animal do Rio Grande do Sul, (Fundesa-RS) salienta a importância do setor produtivo fazer a sua parte. “Cada produtor é responsável pelo seu rebanho e produção. Atender aos chamados do Serviço Veterinário Oficial e cumprir as obrigações é apenas um dos passos.” Segundo Rogério Kerber, o produtor deve permanecer vigilante e notificar qualquer suspeita de doença, seja um sintoma ou um comportamento anormal do rebanho.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.