Remate de ovinos faz quase R$ 800 mil no Sul do país

Remate de ovinos faz quase R$ 800 mil no Sul do país

PARTILHAR
Foto: Divulgação

Evento que integrou a 36ª Feovelha comercializou mais de 2.400 ovinos de diversas raças para produção de carne e lã em Pinheiro Machado.

O pavilhão de leilões do Parque Charrua, no município de Pinheiro Machado, no estado do Rio Grande do Sul, recebeu um grande número de produtores rurais em 31 de janeiro para mais uma edição do tradicional “Rematão”.

No total, o pregão gaúcho negociou 2.438 exemplares de alto padrão genético de raças voltadas para a produção de lã e carne (veja tabela abaixo) e movimentou R$ 796.755, atingindo média geral de R$ 328,13 – alta de 12,7% em relação a 2019 (R$ 291).

O animal mais valorizado da tarde de negócios em Pinheiro Machado foi um borrego da raça Ideal, arrematado por Raul Matias (Canguçu, RS) pelo valor de R$ 1.820.

O aguardado evento fez parte da programação oficial da 36ª Feira e Festa Estadual da Ovelha (Feovelha), encerrada no dia 2 de fevereiro. De acordo com balanço divulgado pela organização da feira, a edição de 2020 faturou R$ 1,3 milhão com a comercialização de 2.677 ovinos.

A organização do leilão ficou a cargo do Sindicato Rural de Pinheiro Machado, com transmissão pelo Facebook da exposição.

Confira as médias por raças do Rematão (31 de janeiro)

  • Não definidos: R$ 274,75 (345 animais)
  • Cruzas: R$ 247,19 (96 animais)
  • Corriedale: R$ 380,32 (494 animais)
  • Hampshire Down: R$ 254,05 (84 animais)
  • Ideal: R$ 340,07 (422 animais)
  • Merino Australiano: R$ 338,42 (158 animais)
  • Preta: R$ 299,85 (66 animais)
  • Suffolk: R$ 493,33 (27 animais)
  • Texel: R$ 321,59 (743 animais)

Fonte: Feovelha / Sindicato Rural de Pinheiro Machado – Portal DBO

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.