Sistema ajuda produtor na hora de fazer cruzamento industrial

Sistema ajuda produtor na hora de fazer cruzamento industrial

PARTILHAR
Foto Divulgação.

Índice econômico permite fazer escolhas assertivas e acertadas no que diz respeito aos acasalamentos em sistemas de cruzamento industrial

Desenvolvido com exclusividade para sistemas de cruzamento industrial, o índice ABS XBlack faz o melhor uso de dados do mundo real para turbinar a eficiência e rentabilidade nos rebanhos de corte

Em sistemas de cruzamento industrial, a escolha da genética acertada pode ser um desafio. Afinal, por se tratar de um modelo de produção intensiva, o produtor deve ter sempre em mente a terminação de animais jovens mas com o máximo de peso possível, agregando um produto de qualidade para o competitivo mercado de carne.

Assim, a oferta meramente de doses de sêmen, como ocorre no mercado tradicional de IA, embora útil, pode não ser o bastante para cumprir os exigentes objetivos de um rebanho criado para cruzamento industrial. Por isso, o Pacote Tecnológico da ABS conta com uma ferramenta desenhada especificamente para este tipo de sistema produtivo, pensada exclusivamente para o produtor de carne obter a máxima rentabilidade.

O Pacote Tecnológico inicia com um plano genético, que visa otimizar cada prenhez da fazenda, onde identifica-se as melhores fêmeas, para uso do Sexcel Nelore fêmea, garantindo a reposição de novilhas Nelore provenientes das melhores vacas e as demais vacas, inferiores geneticamente, indicamos o uso do ABS XBlack.

O ABS XBlack, índice econômico desenvolvido a partir da tecnologia exclusiva da ABS permite fazer escolhas assertivas e acertadas no que diz respeito aos acasalamentos em sistemas de cruzamento industrial.

“Quando lançamos o ABS XBlack, pensamos no produto de trás para a frente: primeiro, definimos o resultado que precisávamos entregar para o produtor. Depois, idealizamos e planejamos as fases que precisam acontecer para se alcançar essa meta. A ideia fundamental é que não é apenas a produtividade que importa, mas a eficiência de todo o sistema, obtendo-se um animal que ganha bastante peso, com excelente eficiência alimentar e uma carcaça de valor agregado, com acabamento de gordura exigido pelos programas de qualidade de carne”, descreve o gerente de Produto e Projetos Europeu Corte, Marcelo Selistre.

Assim, a ABS baseou-se nos dados do mundo real (RWD – Real World Data), a partir de fazendas parceiras, colhendo informações específicas do mercado de F1, com o objetivo de indicar a genética mais rentável para o produtor no sistema de produção do cruzamento industrial com terminação intensiva.

“Sabemos que o animal cruzado apresenta um ganho de peso de 25 a 30% acima da média e, por isso, reduz o tempo de permanência no sistema de produção, que é muito impactante na redução de custos, potencializado pela eficiência alimentar, que resulta em maior rentabilidade”, comenta Selistre.

Mas, com o Pacote Tecnológico, as soluções oferecidas pela ABS vão mais longe. “A partir desse ponto, quanto mais vacas tivermos disponíveis para o cruzamento industrial, maior a rentabilidade. Porém, não podemos esquecer da reposição de fêmeas. É aí que entra a genética sexada, o Sexcel Nelore, entre outros produtos do pacote”, enfatiza o gerente.

Dados reais. A Fazenda Cambury, em Araguaiana (MT), é uma das propriedades parceiras da ABS envolvidas no desenvolvimento do banco de dados que sustenta o índice ABS XBlack. A fazenda utiliza a ferramenta desde 2015, quando o produto foi lançado pela ABS, e comemora resultados impactantes decorrentes da escolha mais precisa da genética.

O rebanho de mais de 4500 cabeças inclui cerca de 2500 matrizes. A equipe da fazenda trabalha com cria de gado Nelore e meio-sangue Aberdeen Angus. Há dois anos, foi iniciado um projeto de recria das fêmeas Angus e cria com cruzamento de Brangus.

É o que conta o zootecnista e gerente da propriedade, José Eduardo Martins Júnior, o Dorico.

“O grande atrativo do índice ABS XBlack é a confiabilidade da ferramenta, já que ela é baseada em dados que representam a realidade do mercado. Isso significa que um animal bem avaliado no índice sempre terá um desempenho satisfatório. Percebemos uma consistência muito grande nos resultados”, avalia Dorico.

Nos últimos cinco anos, a fazenda vem aumentando a quantidade de matrizes – cerca de 200 a 250 por ano. Segundo o gerente, esse resultado foi possível graças ao ABS XBlack.

“Registramos um aumento significativo do peso a desmama dos animais e, como passamos a trabalhar a recria dessas fêmeas, conseguimos inserir todos esses animais na estação de monta aos 12 meses. Antigamente, era aos 14 meses”, revela.

Dorico ressalta que essa diferença trouxe impactos muito importantes para a fazenda. “Passamos a gastar muito menos com nutrição, já que os animais se desmamam com um peso superior e não precisam engordar tanto. Os bezerros machos que resultaram dos acasalamentos orientados pelo índice tinham 7 kg a mais do que a média da fazenda – de 279 kg para 286 kg. Para as fêmeas, a diferença foi ainda maior: de 261 kg para 270 kg, uma diferença de 9 kg. Esse é o principal resultado, além da uniformidade dos lotes”, sublinha o gerente.

Assim, fazendo o melhor uso do índice ABS XBlack, o produtor tem a oportunidade de aproveitar, também, as outras soluções que integram o Pacote Tecnológico ABS, potencializando a seleção de touros para acasalamentos, detectando o cio precocemente e, ainda, multiplicando as melhores fêmeas para reposição. Tudo isso leva ao aumento considerável da produtividade e da eficiência de toda a propriedade.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com